Chamada de artigos: Conceição / Conception (Singularidades e Coletividades)

CHAMADA PÚBLICA PARA SUBMISSÃO DE ARTIGOS:
CONCEIÇÃO/CONCEPTION

  • A revista Conceição/Conception faz a chamada para o seu próximo número, propondo como horizonte de discussão o tema SINGULARIDADES E COLETIVIDADES. Esse tema abarca os tensionamentos entre singularidades e coletividades na pesquisa e na criação em artes da cena, bem como suas transposições, aquilo que do singular amplia-se para um coletivo e aquilo que a partir de um coletivo é singularizado.
  • A afirmação da dimensão coletiva da ação artística tem se tornado uma tônica importante  em projetos e discursos que enfatizam, sobretudo, as relações entre arte e esfera pública e que pretendem romper com a imagem do artista narcisicamente envolvido com a própria subjetividade. Ao mesmo tempo, torna-se urgente reconsiderar as formas de articulação coletiva e os riscos da homogeneização e normatização dos comportamentos e atitudes.
  • Trata-se também de pensar nas relações das artes da cena com as culturas tradicionais – criadas a partir de uma coletividade – seja como trabalho do ator, do perfomer ou do bailarino, seja como material mobilizador para a criação artística. Como ocorrem os processos de singularização no corpo do artista de algo que é coletivo em sua constituição?
  • O tema remete ainda ao artista em pesquisa de campo de culturas específicas e as travessias entre singular e coletivo que daí decorrem. Relaciona-se à experiência de alteridade, do existir na sua singularidade apenas quando colocado em coletividade. O coletivo como material contrastante, que permite enxergar mais. O coletivo que valida experiências individuais fora da norma. Também a coletividade como possibilidade de potencialização das singularidades, na atuação conjunta, na pluralidade de vozes que se irmanam com um fim comum, a coletividade com um sentido político. Por outro lado, o coletivo enquanto massa, que destitui as singularidades, coletivo enquanto senso comum. A arte como abalo desse coletivo normatizante. E ainda, o trabalho do ator sobre si como possibilidade de ir além do seu "eu" cotidiano, de abrir-se para uma coletividade. As memórias pessoais, as memórias coletivas e aquelas inventadas.
  • Serão aceitos preferencialmente os artigos que proponham um efetivo aprofundamento destas questões, tanto através de questionamentos teóricos como da análise de experiências práticas.
  • Convidamos artistas, pesquisadores e professores das Artes da Cena ou áreas afins a enviar suas reflexões no formato de artigos, resenhas ou documentos artísticos (fotos, vídeos e relatos de processos artísticos) para compor o próximo número da revista, colaborando para o debate na área. Para esta chamada o período de submissão foi prorrogado para 30 de setembro de 2016.
  • A revista aceita também artigos e resenhas em fluxo contínuo fora da temática aqui apresentada.