Empobrecimento estético e música popular: a hipermidiatização da música e a formação de um novo público-ouvinte

Kleber Mazziero de Souza

Resumo


Revisitando a veiculação de música popular brasileira de alto padrão estético nas grades de programação da mídia televisiva brasileira nas décadas de 1960 e 1970, este trabalho intenta traçar um paralelo entre as espécies de canção popular produzidas e consumidas àquela época e nas primeiras décadas do século XXI, notadamente após o fenômeno aqui denominado “hipermidiatização da música”, vale dizer, o surgimento e a disseminação dos dispositivos de armazenamento, compilação, compartilhamento e audição musical em movimento. Distintas no que tange à construção melódica, à estruturação harmônica, à concepção rítmica e à temática das letras, as produções musicais das épocas aqui destacadas, em grande medida, revelam as diferentes relações entre produtores de conteúdo musical, canais de mídia de massa e apropriação estética do público-ouvinte de música popular brasileira.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Creative Commons

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/

 

Revista Sonora - ISSN 1809-1652
Qualis B3 em Artes / Música 
Qualis B5 em Ciências Sociais Aplicadas I

Grupo de pesquisa Tecnologia, Mídia, Criação Sonora e Audiovisual 
Instituto de Artes
Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)