Da presença, da prática, do corpo: contribuições etnocenológicas para a pesquisa em educação

  • Gilberto Icle Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Etnocenologia, Educação, Presença.

Resumo

Este texto discute o campo de atuação da Etnocenologia como perspectiva teórico-metodológica e não como um território de estudos.Discute as formulações iniciais de Pradier explorando os conceitos de prática e de espetacularidade. Implica o conceito de presença, apresentando-o a partir da discussão filosófica de Gumbrecht na qual a experiência estética é pensada como oscilação entre “efeitos de presença” e “efeitos de significado”. Propõe a suspensão da interpretação ou daquilo que Gumbrecht denomina como “campo hermêutico” e investiga as possibilidades dessa suspensão para as investigações das práticas espetaculares.

Referências

GUMBRECHT, Hans Ulrich. O campo não-hermenêutico ou a materialidade da comunicação. Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 1993.

_____. Production of presence: what meaning cannot convey. Stanford: Stanford University Press, 2004.

PRADIER, Jean-Marie. Ethnoscénologie: la profondeur des émergences. Internationale de l’imaginaire. La scène et la terre: questions d’ethoscenologia. Paris: Maison des cultures du monde. n.5, 1996, p.13-42.

_____. La scène et la fabrique des corps: Ethnoscénologie du spetacle vivant en Occident. Bordeaux: Presses Universitaire de Bordeaux, 2000.

Publicado
2018-05-17
Seção
Etnocenologia