EU CORPO A CORPO COMIGO MESMA: DES(H)ARMONIZANDO O ESPAÇO DO (IN)VISÍVEL

Andréia Maria Ferreira Reis

Resumo


Nesta comunicação faço uma análise do meu processo na criação de Hibridus Corpus (Salvador, 2006), a partir do princípio da não polaridade, incluindo suas relações e inter-Ações. A partir da teoria e prática de Rudolf Laban, Mary Whitehouse, Irmgard Bartenieff, Mary Wigman e Peggy Hackney, fundamento este trabalho no entre, ou seja, no corpo híbrido em processo de transformação, fazendo conexões e se (re)inventando des(h)amonicamente em continuum devir. É no caminho do estranho, do inusitado e das possibilidades que se dá a abertura do processo, em busca da expansão da linguagem corporal de cada pessoa.

Palavras-chave


Corpo; Híbrido; Inter-Ação.

Texto completo:

PDF

Referências


BANES, Sally. Greenwich Village 1963: avant-garde, performance e o corpo efervescente. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

FERNANDES, Ciane. Transgressões em Harmonia: Contribuições à Dança-Teatro de Laban. In: LOGOS 18, Rio de Janeiro: UERJ, n. 18, p. 60-81, 2003.

________. AtraveRsando Corpos: Dança e Contemporaneidade no Evento Conexão Sul 2006. In: www.revista.art.br/site-numero-06/apresentacao.htm. 2006.

GIL, José. Movimento Total: o corpo e a dança. São Paulo: Iluminuras, 2005.

HACKNEY, Peggy. Making Connections. Total Body Integration Through Bartenieff Fundamentals. Amsterdã: Gordon Breach, 1998.

LABAN, Rudolf. Domínio do Movimento. São Paulo: Summus, 1978.

MELZER, Annabelle. Dada and Surrealist Performance. Baltimore: John Hopkins, 1994.

REIS, Andréia. O Corpo Rompendo Fronteiras: uma experimentação a partir do Movimento Genuíno e do Sistema Laban/Bartenieff. Dissertação de Mestrado. Salvador: PPGAC/UFBA, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio