A criação da cenografia

Heloisa Lyra Bulcão

Resumo


Este artigo trata da importância de se estudar o processo de criação na cenografia, tanto para o seu desenvolvimento teórico, quanto para a produção de bibliografia para o ensino nas escolas de teatro. Como referência, temos o material gerado por um grupo de estudos coordenado pelo cenógrafo Luiz Carlos Mendes Ripper, que descreveu todo o processo de criação de cenografia e figurinos de um espetáculo. A reflexão sobre o tema e a produção de material teórico, como encontramos nos trabalhos sobre a criação artística nas artes plásticas, pode dar subsídios para estudantes e novos profissionais da área.

Palavras-chave


Processo criativo; Cenografia; Ensino da cenografia.

Texto completo:

PDF

Referências


BONSIEPE, Guy. Teoria y practica del disegno industrial. Barcelona: Gustavo Gilli, 1978.

BURRIS-MEYER, Harold & COLE, Edward C. Scenery for tbe theatre. Boston: Little, Brown & Company, 1971.

HOLT, Michael. Stage design and properties. London: Phaiden Press, 1995.

KNELLER, George F. Arte e ciência da criatividade. São Paulo: IBRASA, 1976.

KOSOVSKI, Lidia. Saudades do futuro, uma licença poética da relatividade do tempo, Chronos, Publicação Cultural da UNIRIO, vol. 1, n. 1, p. 97-122, 2006.

OSTROWER, Fayga. Acasos e criação artística. Rio de Janeiro: Campus, 1995.

RATTO, Gianni. Antitratado de cenografia. São Paulo: SENAC, 2001.

RIPPER, Luiz Carlos et alli, Processo de criação do “Cometa Vassourinha”, manuscritos, 1989.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio