PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID) “INTERDISCIPLINAR: MÚSICA E ARTES CÊNICAS”: ANÁLISE DE EXPERIÊNCIA REALIZADA PELA OFICINA DE TEATRO DO OPRIMIDO

Andréia Veber, Elder Sereni Ildefonso, Tayene Elize, Estela Moreira, Anyelle Caroline Cordeiro, Thayse Preis Mochi

Resumo


O presente texto apresenta o relato contextualizado e crítico de uma das ações do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) “Interdisciplinar: Artes Cênicas e Música” que está em andamento na Universidade Estadual de Maringá (UEM). O programa PIBID tem se tornado, ao longo de sua trajetória, lócus de pesquisa e reflexão sobre a docência, possui objetivo de promover a articulação teoria-prática e a integração entre escolas e Instituições de Ensino Superior formadoras, de modo a contribuir para a formação dos educadores e no desempenho das escolas públicas nas avaliações nacionais e, consequentemente, demonstra a relevância social da carreira docente. O PIBID interdisciplinar Artes Cênicas e Música foi concebido com o objetivo de discutir e repensar o espaço da Arte na escola a partir de ações diversificadas. A ação sobre a qual trata este artigo teve o Teatro do Oprimido como base de sustentação metodológica e ideológica, visando suscitar questões relacionadas ao cotidiano escolar dos alunos a partir de temáticas ligadas aos contextos sociais e políticos atuais, por meio da dinâmica construída durante a realização de cada encontro. A realização de jogos seguidos por diálogos teve por objetivo discutir acerca das impressões e vivências dos participantes. Como resultados, podemos afirmar que os métodos de trabalho adotados proporcionaram a consolidação de uma prática e reflexão que vão ao encontro dos objetivos propostos por Augusto Boal, que legitima a conscientização crítica e emancipação do sujeito, que tem a possibilidade de trilhar seu próprio desenvolvimento enquanto partícipe social.

Palavras-chave


Iniciação à Docência; Teatro do Oprimido; Teatro na Escola.

Texto completo:

PDF

Referências


BOAL, Augusto [1931-2009]. Jogos para atores e não atores: Augusto Boal. Posfácio: Sergio de Carvalho. Tradução: Barbara Wagner Mastrobuono e Célia Euvaldo. São Paulo, Cosac Naify, 2015.

BOAL, Augusto. Teatro do Oprimido e Outras Poéticas Políticas. 6ª ed.

Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1967.

BOAL, Augusto. Teatro do Oprimido e outras poéticas políticas: Augusto Boal. São Paulo: Cosac Naify, 2013. 224pp., 2 ils.

BRASIL, Projeto de Lei N º193, de 2016, Poder Executivo.

CAVASSIN, Juliana. Perspectivas para o teatro na educação como conhecimento e prática pedagógica R.cient./FAP, Curitiba, v.3, p.39-52 , jan./dez. 2008. Disponível em:

Acesso em: 07 julho 2016

KUHN, Mara Lúcia W. Boal e o Teatro do Oprimido: o Espect-ator em cena na Educação Popular. Universidade Regional do Noroeste Do Estado do Rio

Grande do Sul. DEPE – Departamento de Pedagogia Programa de PósGraduação – Mestrado em Educação nas Ciências, Janeiro de 2011.

RANCIÈRI, Jacques. O Mestre Ignorante. Cinco lições sobre a emancipação intelectual/Jacques Rancière; tradução de Lilian do Valle-Belo Horizonte:

Auténtica, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio