PEH QUO DEUX: UMA INTERSEÇÃO ENTRE O TEATRO DE ANIMAÇÃO E A DANÇA CONTEMPOR NEA

Miguel Vellinho Vieira

Resumo


Em 2013, a Cia PeQuod – Teatro de Animação embrenhou-se em uma nova pesquisa, unindo Dança Contemporânea e bonecos. Partindo de uma vontade de renovação de procedimentos de manipulação e de gestualidade, a PeQuod viu na possibilidade de aproximar-se do movimento poético uma saída para a sua incompatibilização do movimento causal e cotidiano – que ao longo de quinze anos e dez espetáculos foram trabalhados dentro de uma mesma técnica, a manipulação direta – e o desejo de recriar sua linguagem através de novos cruzamentos. Assim, a PeQuod convidou cinco coreógrafos da cena carioca para criar quadros coreográficos, usando bonecos como eixo central do material cênico. PEH QUO DEUX, estreado em janeiro de 2014, é o primeiro trabalho da PeQuod a se apresentar como um espetáculo de Dança Contemporânea e que utiliza bonecos no lugar de bailarinos.

Palavras-chave


Teatro de animação; Dança contemporânea; Dança inorgânica; Corpo alternativo.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Antonio. A gênese da vertigem: o processo de criação de o paraíso perdido. São Paulo. Perspectiva, 2011.

CALVINO, Ítalo. Seis propostas para o próximo milênio. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

FÉRAL, Josette. A Fabricação do Teatro: questões e paradoxos. Porto Alegre, v.3 n.2, p 566-581, maio/ago 2013. Disponível em http://www.seer.ufrgs.br/presenca Acesso em 20 de junho de 2016.

SALLES, Cecília Almeida. Gesto inacabado: Processos de Criação Artística. São Paulo: FAPESP/Annablume, 1998.

SILVA, Antonio Carlos de Araújo. A encenação no coletivo: desterritorializações da função do diretor no processo colaborativo. São Paulo, Universidade de São Paulo, Departamento de Artes Cênicas da Escola de Comunicação e Artes. Tese de Doutorado. 2008. p.60.

VELLINHO, Miguel. O gesto poético como libertação. E reaprendizado. Disponível em: http://www.questaodecritica.com.br/2014/03/o-gesto-poeticocomo-libertacao-e-reaprendizado/. Acesso em: 20 de outubro de 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio