CIDADES PROIBIDAS E IMAGINADAS: A CENA FESTIVA NA RUA

Silvia Patricia Fagundes

Resumo


O trabalho analisa o processo criativo, experiências e trajetória do espetáculo Cidade Proibida, que busca compor territórios provisórios de convívio que colaborem na criação de imaginários urbanos festivos. Aliado aos imaginários urbanos, a festividade é um conceito importante para pensar a ação artística e política de uma cena que se oferece no espaço público da cidade como possível prática de encontro, em diálogo com os conflitos mais ou menos evidentes do contexto social urbano e do próprio fazer cênico. Desde 2013, a intervenção é realizada em lugares urbanos de possível convívio, que se tornam proibidos durante a noite pela ameaça potencial de violência. A diversidade dos artistas envolvidos, os diferentes espaços-tempo de apresentações, os acontecimentos do país e do mundo reverberam no espetáculo redefinindo constantemente sua composição, que reflete aspectos dinâmicos da própria cidade; caótica, violenta, plural, excessiva, festiva. Considerando a experiência viva da cena, que incorpora elementos teóricos e processos articulados de pensamento, o artigo considera relações possíveis entre arte e política, ética e estética, real e imaginário.

Palavras-chave


Intervenção urbana; Encenação; Imaginários urbanos; Cena contemporânea.

Texto completo:

PDF

Referências


ARDENNE, Paul. Un Arte Contextual. Murcia: Cendeac, 2002.

BOURRIAUD, Nicolas. Estética Relacional. Buenos Aires: Adriana Hidalgo, 2006.

FAGUNDES, Patricia. O processo de ensaios como mecanismo de relaciones: um dispositivo festivo. Abrace, 2012.

La Ética de la Festividad en la Creación Escénica. Tesis doctoral. Universidad Carlos III de Madrid, 2010.

FISCHER-LICHTE, ERIKA. The Transformative Power of Performance. London and New York: Routledge, 2008.

SILVA, Armando. Imaginários, estranhamentos urbanos. São Paulo: Edições SESC, 2014.

DIEGUEZ, Ileana. Práticas e Poéticas do Político em RAMOS, Luiz Fernando. Org. Arte e Ciência: abismo de rosas. São Paulo: Abrace, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio