A EFICÁCIA DA PEDAGOGIA DO TEATRO NO DESENVOLVIMENTO DA ORALIDADE DO ALUNO

Regina Helena Espirito Santo, Luiz Claudio Cajaiba

Resumo


A comunicação visa discutir a eficácia do teatro como recurso para incentivar a capacidade de expressão oral na escola. Segundo Foucault (1977), a instituição de ensino, visando a “docilidade” dos corpos, utiliza olhar hierárquico de vigilância, sansões e exames que permitem qualificar, classificar e punir. Para Bourdieu (2001), suprimindo-se espaços, inibe-se a criatividade, praticando-se a violência simbólica. Considero que o sistema disciplinar atualmente praticado em escolas públicas, grosso modo, é responsável pela grave crise nas relações interpessoais. Esse contexto impede que sejam atendidas as orientações dos PCNs, relacionadas à espontaneidade, liberdade de expressão e criação, também defendidas por Zumthor (1977). A partir da aplicação dos jogos teatrais propostos por Spolin (1992) e Boal (2005) entre muitos outros, percebo caminho possível para a potencialização da voz do aluno. Defendo, em caráter de conclusão, que certa prática educacional através do teatro, flexibiliza reações, diminui defesas e multiplica relações.

Palavras-chave


Pedagogia do teatro; Improvisação; Oralidade.

Texto completo:

PDF

Referências


BOAL, Augusto. 200 Exercícios e Jogos. Civilização Brasileira, 13ª ed., 1997.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. 4ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir.. Petrópolis: Editora Vozes, 1977.

FREIRE, Paulo. A Pedagogia da Autonomia. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

RYNGAERT, Jean-Pierre. Jogar, representar: práticas dramáticas e formação. São Paulo: Cosac Naify, 2009.

SPOLIN, Viola Improvisação para o teatro. Trad. Ingrid Koudela e Eduardo Amos. São Paulo: Perspectiva, 1982.

ZUMTHOR, Paul. Introdução à Poesia Oral. São Paulo : Hulcitec, 1977.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio