Criação de dança em diálogo com corporalidades locais

Teresa Fabião, Eloísa Domenici

Resumo


Os encontros interculturais não são uma realidade do mundo moderno, porém
intensificaram-se na história pós-colonial, com os deslocamentos e transmigrações, lançando novos desafios para o conhecimento humano. Nesse sentido, a criação de dança motivada pelo diálogo com corporalidades locais chama a atenção pelo potencial de mobilizar alteridades e relativizar identidades, desenvolvendo dessa forma o diálogo intercultural. O termo “corporalidades locais” refere-se a características culturais que se fazem corpo, como tradições de dança locais, gestualidade cotidiana, ou hábitos sociais. Este trabalho apresenta o início de um processo de pesquisa e criação com um grupo de dançarinos-pesquisadores em diálogo com a cidade de Salvador (Bahia), explorando um tema provocativo no
cenário contemporâneo global. A partir das subjetividades de cada intérprete,
pretende-se identificar procedimentos de criação-composição que estimulem o
diálogo e reinterpretação de informações corporais locais. À luz da imbricação
movimento-pensamento-sistema cultural e de estudos sobre mestiçagem e
tradução, busca-se ampliar o entendimento da criação em dança no contexto de
deslocamentos geográficos e conceituais. Este texto lança questionamentos que
serão desenvolvidos ao longo da pesquisa em andamento.

Palavras-chave


Dança; Mestiçagem; Extraposição; Tradução cultural; Corporalidades locais.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M.. A Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

DAMÁSIO, A.R. O erro de Descartes: emoção, razão e o cérebro humano. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

DAWKINS, R.. O gene egoísta. Belo Horizonte: Editora Itatiaia, 1979.

DESMOND, Jane C. (Ed.). Meaning in motion: new cultural studies in dance.

Durham and London: Duke University Press, 1997.

DOMENICI, E.. “A pesquisa das danças populares brasileiras: questões

epistemológicas para as artes cênicas”. Caderno GIPE-CIT (UFBA), Vol. 23, 7- 17, 2009.

FOSTER, Susan L. Dancing Bodies. IN: DESMOND, Jane C. (Ed.). Meaning in

motion: new cultural studies in dance. Durham and London: Duke University Press, 1997.

GREINER, Christine ; QUEIROZ, João. A emergência de novos padrões de

movimento em dança. Repertório Teatro Dança. Universidade Federal da Bahia, v.4, p. 96-104, 2000.

GRUZINSKY, Serge. O Pensamento Mestiço. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

HOBSBAWM, Eric J. A invenção das tradições. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra, 1984.

JOHNSON, M. The body in the mind: the bodily basis of meaning, Imagination, and Reason. Chicago/London. The University of Chicago Press., 1987.

LOTMAN, I. La Semiosfera I. Madrid, Ediciones Cátedra, 1996.

MAFFESOLI, M. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nas sociedades de massa. Rio de Janeiro: Forense, 1987.

MINAYO, M. C. de S. O Desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em

saúde. São Paulo: Hucitec, 1992.

PINHEIRO, J. Amálio B. Por entre mídias e artes, a cultura. In: Revista Ghrebh, número 6, São Paulo, 2004.

http://www.revista.cisc.org.br/ghrebh6/artigos/06amalio.htm

SANTOS, Boaventura de Sousa. A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006.

VISSICARO, Pegge. Studying dance cultures around the world: an introduction to multicultural dance education. Dubuque: Kendall/Hunt, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio