Escrita de processo/ Escrita de dança

Thereza Rocha, José da Costa

Resumo


Este texto apresenta a escrita de processo (ROCHA, 2012), inspirada no método da cartografia proposto por Suely Rolnik, como modo de acompanhamento/escritura de processos de criação em dança, no caso, do espetáculo 3Mulheres e um Café: uma Conferência Dançada com o Pensamento em Pina Bausch (2010).

Palavras-chave


Escrita de processo; Memória de processo; Regimes de dizibilidade em dança; Dança contemporânea; Dramaturgia de dança.

Texto completo:

PDF

Referências


ALLIEZ, Éric. (1996). Deleuze filosofia virtual. São Paulo: Ed. 34.

DELEUZE, Gilles. (1988). Diferença e repetição. Rio de Janeiro: Graal.

_______________. (2006). Crítica e Clínica. São Paulo: 34.

DERRIDA, Jacques. (2001). Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Rio de Janeiro: Relume Dumará.

KLEIN, Kelvin Falcão. (2010) Duchamp hoje. Cadernos de não.ficção. Ano IV, n. 3.

LOUPPE, Laurence. (2004). Poetique de la danse contemporaine. Bruxelas:

Contredanse.

NANCY, Jean-Luc. (2000). Dobra Deleuziana do Pensamento. In: ALLIEZ, Éric (org.) Gilles Deleuze: uma vida filosófica. São Paulo: Ed. 34.

PASSOS, Eduardo, KASTRUP, Virgínia, ESCÓSSIA, Liliana da (orgs.). (2010).

Pistas do método da cartografia: pesquisa-intervenção e produção de subjetividade. Porto Alegre: Sulina.

ROLNIK, Suely. (2006). Cartografia Sentimental: transformações contemporâneas do desejo. Porto Alegre: Sulina.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio