Desenhos ficcionais e o novo estatuto do corpo depoente

Patricia Leonardelli

Resumo


O artigo analisa as relações entre tempo e performatividade a partir das noções
de memória como recriação do vivido, proposta por Henri Bergson e relida por
Gilles Deleuze, e de tempo reflexivo, apresentada por Pierre Lèvy.
Debateremos, à luz de tais conceitos, as condições que permitem a
instauração dos campos da teatralidade e da performatividade, e as
transformações que afetam o corpo depoente em tais processos, para, dessa
reflexão, sugerir uma perspectiva ampliada de treinamento e formação do ator
contemporâneo.

Texto completo:

PDF

Referências


Textos

FÉRAL, Josette. Performance and Theatricality: The Subject Demystified.

Modern Drama. New York, v. 25, n. 1, p. 170-181. mar. 1982.

Livros

ALLIEZ, Éric. Deleuze Filosofia Virtual. São Paulo: editora 34, 1996.

BERGSON, Henri. Matéria e Memória. São Paulo: Martins Fontes: 2006.

DELEUZE, Gilles. Bergsonismo. São Paulo: editora 34, 2001.

_____. O que é Filosofia?. São Paulo: editora 34, 1992.

FÉRAL, Josette. Teatro, Teoría y Práctica: más allá de las Fronteras.

Galerna:Buenos Aires, 2004.

LÉVY, Pierrre. O que é o virtual?. São Paulo: editora 34, 1996.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio