A Potência das Metáforas em Sala de Trabalho

Ana C. Lewinsohn, Renato Ferracini

Resumo


Cada sala de ensaio, cada grupo e processo de criação utiliza, em suas
práticas, o que podemos chamar de metáforas de trabalho. As metáforas de
trabalho são ideias, ações, imagens e comandos verbais utilizados em práticas
de ensaio, aulas ou processos criativos para auxiliarem os atuantes a entrarem
em um estado corporal diferente daquele do cotidiano, numa zona de
experimentação. A utilização de metáforas de trabalho em práticas teatrais
determina a construção de um corpo-em-arte, gerando e potencializando
estados de criação, repetição, atualização e manutenção de ações-matrizes
físico-vocais no contexto poético ficcional e espetacular. Este artigo investiga a
potência dessas metáforas na busca da criação de uma relação mais íntima
entre os conceitos sobre a arte e a prática artística, e de uma reflexão teórica
cada vez mais próxima do processo criativo, utilizando seus paradigmas, sua
linguagem e suas imagens para discutir questões pertinentes sobre o trabalho
do ator contemporâneo.

Texto completo:

PDF

Referências


FLASZEN, Ludwik e POLLASTRELLI, Carla. (curadoria). O Teatro laboratório

de Jerzy Grotowski 1959-1969. Trad. Berenice Raulino. São Paulo:

Perspectiva: 2010.

LAKOFF, G. e JOHNSON, M. Metáforas da vida cotidiana. Trad. Grupo de

Estudos da Indeterminação e da Metáfora (GEIM) e Vera Maluf. São Paulo:

PUC-SP, 2002.

RICOEUR, Paul. “O processo metafórico como cognição, imaginação e

sentimento”. In: SHELDON, Sacks (org.). Da Metáfora. Trad. Leila Cristina M. Darin… et al. São Paulo: EDUC/Pontes, 1992.

TRASK. R. L. Dicionário de linguagem e linguística. Trad. Rodolfo Ilari. São

Paulo: Contexto, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio