A memória como recriação do vivido no pensamento do corpo-em-arte

Patricia Leonardelli

Resumo


O texto traz uma síntese de nosso estudo acerca das possíveis reformulações
conceituais sobre a memória a partir da observação de seu funcionamento nos processos
de criação do corpo-em-arte, e nas produções de linguagem da área (que, aqui,
denominamos de depoimento pessoal num nível mais amplo). Analisamos como a
memória é estimulada e opera desde os métodos interpretativos strictu sensu até algumas
manifestações de desempenho espetacular do fim do século passado e contemporâneas
que prevêem a composição total do evento (os trabalhos de Joseph Beuys, Marina
Abramovic e Spalding Grey, mais especificamente).

Texto completo:

PDF

Referências


ADRIANI, G.; MESSER, T. M. Joseph Beuys: Drawings, Objects anda Prints. Stuttgart: Institute for Foreign Cultural Relations, 1989.

ALLIEZ, Éric. Deleuze Filosofia Virtual. São Paulo: editora 34, 1996.

ARISTÓTELES. De Anima. trad. Maria Cecília Gomes dos Reis. São Paulo: Ed. 34, 2006.

_____. Poética. Série Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1999.

BERGSON, Henri. Matéria e Memória. São Paulo: Martins Fontes: 2006.

_____. Memória e Vida. São Paulo: Martins Fonte, 2006.

BIRRINGER, Johannes. Performance on the edge. New York: Continuum, 1999.

BUNDY, Murray Wright. The Theory of Imagination in Classical and Mediaeval Thought. Illinois: Folcroft Library Editions, 1970.

CARLSON, Marvin. Performance a critical introduction. New York: Routledge, 2004.

CARUTH, Cathy. Unclaimed experience. Trauma, Narrative and History.

Baltimore/Londres: John Hopkins University Press, 1996.

DAMASIO, Antonio. O erro de Descartes: emoção, razão e cérebro humano. São Paulo: Companhia das letras, 1996.

DELEUZE, Gilles. Empirismo e Subjetividade. São Paulo: editora 34, 2001.

_____. e GUATTARI, Felix. Mil Platôs Capitalismo e Esquizofrenia. vol 1, 2, 3 e 4. São Paulo: editora 34, 1995, 1996, 1997.

DESCARTES, René. Discurso sobre o Método. São Paulo, Hemus, (data de impressão não apontada).

_____. Meditaciones Metafísicas com objeciones y respuestas. Madrid: Ediciones Alfaguara, 1977.

GOLDBERG, Rose Lee. Performance: Live Art from 1909 to present. Londres: Cox and Wylman, 1979.

GROTOWSKI, Jerzy. Em Busca de um Teatro Pobre. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1992.

_____. O Teatro Laboratório de Jerzy Grotowski 1959-1969. São Paulo:Perspectiva, 2007.

HUME, David. Investigação acerca do entendimento humano. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1972.

INSTITUT FÜR AUSLANDSBIEZENHUNGEN. Joseph Beuys – drawings, objects and prints. Stuttgart: Institute for Foreign Cultural Relations, 1989.

IZQUIERDO, Ivan. A arte de esquecer. Cérebro, Memória e Esquecimento. Rio de Janeiro: Vieira e Lent, 2005.

_____. Memória. Porto Alegre: Artmed, 2002.

KOLB, Bryan; WHISHAW, Ian Q. Neurociência do Comportamento. Barueri: Manole, 2002.

LÉVY, Pierrre. O que é o virtual?. São Paulo: editora 34, 1996.

LYOTARD, Jean-François. A condição pós-moderna. Lisboa: Gradiva, 1989.

_____. (trad. Ricardo Correa Barbosa). O pós-moderno. Rio de Janeiro: José Olímpio, 1993.

PLATÃO. (trad. Carlos Alberto Nunes). Diálogos. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 1974.

_____. A República. (trad. Jacó Guisbourg). São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1965.

YATES, Frances. The Art of Memory. Londres: Pinlico, 1992.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio