Estilo e Micropolítica

Sulian Vieira

Resumo


Abordarei as noções de estilo desenvolvidas por Michael Saint-Denis e Silvia
Davini nas quais o estilo se configura como um nível de criação, resultante de um
agenciamento entre os universos da peça e seu autor, da direção, dos atores e do público. O estilo, em seu devir produtivo, encontra-se entre as fronteiras dos gêneros consolidados,
abrindo frestas, em contato com a multiplicidade e a mobilidade históricas, apontando a
“novos” ou “outros” gêneros teatrais. Contudo, se ao abordar o repertório teatral, tende-se a reproduzir em cena “estilos históricos de atuação”, o estilo assumirá lugar reprodutivo. O
estilo será finalmente considerado como devir tão vigoroso quanto sutil de produção de
sentido, um entre lugar, onde a gestualidade dos atores pode assumir um lugar micropolítico.

Texto completo:

PDF

Referências


BALDWIN, Jane. Michel Saint-Denis and the Shaping of the Modern Actor. Lives of The Theatre, 104. Westport: Praeger, 2003.

BERTHOLD, Margot. História Mundial do Teatro. São Paulo, Perspectiva, 2000.

CARLSON, Carlson. Teorias do Teatro: estudo histórico crítico dos gregos até a atualidade. São Paulo, Editora UNESP, 1995.

DAVINI, Silvia. Vocalidade e cena: tecnologias e controle de ensaio. Revista Folhetim, Teatro do Pequeno Gesto, Rio de Janeiro, n. 15, outubro-dezembro, Rioarte, 2002.

ROLNIK, Suely. Cartografia Sentimental: transformações contemporâneas do desejo, Sulina, Editora UFRGS, Porto Alegre, 2007.

SAINT-DENIS, Michel.(Ed. Suria Saint-Denis) Training for the theatre. Premises & Promises. London: Heinemann, 1982.

SAINT-DENIS, Michel. (Ed. Jane Baldwin) Theatre: the Rediscovery of Style and Other writings. London: Routledge, Theatre Classics, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio