Subversões e subversivxs: a infância, a criação de espaços de exceção e os projetos em dança

Fernanda de Souza Almeida

Resumo


O presente texto, de teor ensaísta, assumi a responsabilidade de, por meio de um relato de experiência, revelar os caminhos adotados para a elaboração de projetos em Dança ofertados a oito Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI) da cidade de Goiânia. Tais construções partiram de um dos pressuspostos centrais do grupo de trabalho do Projeto de Cultura e Extensão cujo título é Dançarelando, vinculado ao curso de Licenciatura em Dança da Universidade Federal de Goiás (UFG) que tem como norte a concepção de criança como sujeitos de direitos contextualizados, assumindo-as como protagonistas de suas vidas (SAYÃO, 2002). Para tal, a equipe integrante do projeto imerge em um processo de reconhecimento: (a) da cidade consoante ao pensamento de autores como Lefebvre (2011); Harvey (2014) e Tonucci (2010), (b) do bairro e cultura produzida pelas crianças conforme Ferreira (2010), (c) dos espaços de exceção onde reelaboram suas percepções acerca do mundo, e (d) dos projetos em andamento, desenvolvidos pelas professoras regentes dos CEMIs. Tudo isso almejando a oferta de experiências dançantes que façam sentido à pequenada e contribuam com a ampliação das experiências de si, do outro, da arte e dos sentidos. O descortinar de tais caminhos pode favorecer a troca de experiências sobre as práticas educativas em dança para inspirar ações diferenciadas, despertando adaptações e apropriações em função das particularidades de cada local, além de oportunar uma construção de pedagogias da dança que respeitem a liberdade de expressão e dignidade e a inteligência infantil.

Palavras-chave


Dança e infância. Educação infantil. Prática educativa. Espaço urbano.

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOWICZ, Anete; RODRIGUES, Tatiane Cosentino. Descolonizando as pesquisas com crianças e três obstáculos. Educ. Soc., Campinas/SP: v. 35, n. 127, p. 461-474, abr.-jun. 2014. Disponível em: https://www.cedes.unicamp.br/. Acesso em: 06 de maio de 2019.

ALMEIDA, Fernanda de Souza. Dança e educação: 30 propostas lúdicas com crianças. São Paulo: Summus, 2018.

CRUZ, Renatha Cândida da; DEUS, João Batista. A segregação socioespacial em Goiânia (Goiás): o caso da região noroeste. Anais do VII Congresso Brasileiro de Geógrafos. Vitória, 2014.

Dados da prefeitura: http://www4.goiania.go.gov.br/portal/home.shtml. Acesso em: 10 de maio de 2019.

FERREIRA, Manuela. “- ela é nossa prisioneira!” – questões teóricas, epistemológicas e ético-metodológicas a propósito dos processos de obtenção da permissão das crianças pequenas numa pesquisa etnográfica. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v.18, n2, p.151-182, jul./dez. 2010. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/reflex/article/view/1524/1932. Acesso em: 18 de julho de 2019.

GUATTARI, Félix. As creches e a iniciação. In: Revolução molecular: pulsações políticas do desejo. 3ª ed, São Paulo: Brasiliense, 1987, p.50-55.

HARVEY, D. O direito à cidade. In: Cidades rebeldes. São Paulo: Editora Boitempo, 2014.

JACOBS, Jane. Morte e vida das grandes cidades. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2014.

KUSCHNIR, Karina. Ensinando antropólogos a desenhar: uma experiência didática e de pesquisa. Cadernos de Arte e Antropologia, vol. 2, n.2, 2014.

LEFEBVRE, H. O direito a cidade. São Paulo: Editora Centauro, 2011.

PERROTTI, Edmir. A criança e a produção cultural. In: ZILBERMAN, Regina (Org). A produção cultural para a criança. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1984, p.9-27.

RIZZINI, Irene; NEUMAN, Mariana; CISNEROS; Ariana. Estudos contemporâneos sobre a infância e paradigmas de direitos. Reflexões com base nas vozes de crianças e adolescentes em situação de rua no Rio de Janeiro. In: O social em questão. Revista do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2009.

SARMENTO, Manuel J. Gerações e alteridade: interrogações a partir da sociologia da infância: pesquisa com crianças. v. 26, n.91. Campinas: CEDES, 2005, pp.361-378.

SAYÃO, Deborah Thomé. Crianças: substantivo plural. Revista ZERO-A-SEIS. Florianópolis, v. 4, n. 6, JUL./DEZ, 2002. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/zeroseis/article/view/10318. Acesso em: 11 de junho de 2019.

SCHÖN, Donald. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (Org.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1992. p. 79-91.

SIMMEL, G. As grandes cidades e a vida do espírito. In: Mana, vol.11 no. 2 Rio de Janeiro, Out. 2005.

Subcomandante Marcos. Os diabos do novo século (carta a Eduardo Galeano). Trad. Ezequiel R. dos Santos. 2001.

TONUCCI, Francesco. Primera parte, el projecto. In: La ciudad de los niños: un modo nuevo de pensar la ciudad. Buenos Aires: Editorial Posadas, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Apoio