Teatro performativo e micropolítica: quando o corpo range as memórias criam lugares

Paulo César Sousa dos Santos Junior, Robson Farias Gomes

Resumo


O presente trabalho analisa o processo de criação das obras cênicas “1800 – o grito da família morta” (2017) e “1900 – o ranger da liberdade” (2019), desenvolvidas com integrantes do Zecas Coletivo de Teatro em Belém-PA. Estas obras serão revisitadas utilizando de três eixos de análise: (I) Performatividade em Féral (2015) sobre o teatro performativo e Cohen (2002) sobre a performance como linguagem; (II) Estudos da memória, em Nora (1993), quando fala sobre as problemáticas dos lugares e as noções de memória; e (III) a Micropolítica na perspectiva de Rolnik (1996;2018).  Esse exercício analítico-bibliográfico, também, destaca as artes cênicas performativas como potência para criações de obras cênicas desalienantes.


Palavras-chave


Teatro performativo. Micropolítica. Memória. Lugares. Processo criativo.

Texto completo:

PDF

Referências


COHEN, Renato. Performance como linguagem. São Paulo: Perspectiva, 2013.

FÉRAL, Josette. Além dos limites: teoria e prática do teatro. São Paulo: Perspectiva, 2015.

FÉRAL, Josette. Pour une théorie des ensembles flous. Theatre Research in Canada / Recherches théâtrales Au Canada, 16, 1995.

JUNG, Carl. O homem e seus símbolos. 6. ed. São Paulo: Nova Fronteira, 1964.

LE GOFF, Jaques. História e memória. São Paulo: UNICAMP, 2013.

LEHMANN, Hans-Thies. Teatro-pós dramático. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

NORA, Pierre. Entre a memória e a história: a problemática dos lugares. São Paulo: Projeto história, n.10. 1993.

PAVIS, Patrice. Dicionário do teatro. São Paulo: Editora perspectiva, 1996.

PAVIS, Patrice. Dicionário da performance e do teatro contemporâneo. São Paulo: Perspectiva, 2017.

RAMOS, Luiz Fernando. Mimesis performativa: a margem de invenção possível. São Paulo: Annablume, 2015.

ROLNIK, Suely. Esferas da insurreição: notas para uma vida não descafetinada. São Paulo: N-1 edições, 2018.

ROLNIK, Suely; GUATTARI, Felix. Micropolítica: cartografias do desejo. Petrópolis: Vozes, 1996.

SALES, Cecilia. Gesto inacabado. São Paulo: Intermeios, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Apoio