Corpos de Arkhé negra

Franciane Kanzelumuka Salgado de Paula

Resumo


Este artigo busca compreender as especificidades do corpo negro e seus gestos através de estudos sobre manifestações performáticas negro-brasileiras e de danças africanas para verificar o ensejo ou a evocação de conceitos estéticos e poéticos em que se presentifica a Arkhé negra. Tais conceitos ajudam na leitura e compreensão da produção em dança contemporânea de artistas que herdam tais características culturais (Arkhé negra), propondo a recriação de sua condição marginalizada de sujeito negro anunciando outras possibilidades para a criação na dança cênica e, assim, podemos ou não ser dimensionar tal produção como “dança contemporânea negra”.

Palavras-chave


Ancestralidade. Arkhé. Corpo negro. Dança. Dança contemporânea negra.

Texto completo:

PDF

Referências


AULETE, Caldas. Novíssimo Aulete dicionário contemporâneo da língua portuguesa. GEIGER, Paulo (Org.). Rio de Janeiro: Lexikon, 2011.

CÉSAIRE, Aime. Discurso sobre a negritude. MOORE, Carlos (Org.). Belo Horizonte: Nandyala, 2010.

GOMES, Nilma. Intelectuais negros e produção do conhecimento: algumas reflexões sobre a realidade brasileira. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (Org.). Epistemologias do sul. Coimbra: Almedina, 2009.

GUIMARÃES, Maria Claudia Alves. Dança contemporânea na Paulicéia. In: SOBRAL, Sonia; SANTO, Cristina Espírito; GREINER, Christine (Org.). Cartografia: rumos Itaú Cultural Dança 2009-2010. São Paulo: Itaú Cultural, 2010.

LOPES, Nei. Bantos, malês e identidade negra. Belo Horizonte: Autêntica, 2006.

LOUPPE, Laurence. Poética da dança contemporânea. Lisboa: Orfeu Negro, 2012.

MANZINI, Yaskara Donizeti. Por que não dança Afro-brasileira? In: VOSS, Rita Ribeiro (Org.). Caminhos da pesquisa em dança: interculturalidade e diásporas. Recife: UFPE, 2016.

MARTINS, Leda Maria. Afrografias da memória: o reinado do rosário no Jatobá. São Paulo: Mazza, 1997.

MARTINS, Leda Maria. Performances do tempo espiralar. In: RAVETTI, Graciela & ABEX, Maria (Org.). Performances, exílio, fronteiras: errâncias territoriais e textuais. Belo Horizonte: FALE – Faculdade de Letras da UFMG, 2002.

MONTEIRO, Marianna. Dança afro: uma dança moderna brasileira. In: NORA, Sigrid & SPANGHERO, Maíra (Org.). Húmus 4. Caxias do Sul: Lorigraf, 2011, v., p. 51-59.

RATSS, Alex. Eu sou atlântica: sobre a trajetória de vida de Beatriz Nascimento. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo: Instituto Kuanza, 2007.

SANTOS, Inaicyra Falcão dos. Corpo e ancestralidade: uma proposta pluricultural de dança-arte-educação. Salvador: EDUFBA, 2002.

SANTOS, Inaicyra Falcão dos. A dança de matriz africana no Brasil. Salvador, BA. 30 mai. 2005. Palestra ministrada no I Fórum Nacional de Performance Negra.

SODRÉ, Muniz. Samba, o dono do corpo. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.

SODRÉ, Muniz. O terreiro e a cidade: a forma social negro-brasileira. Rio de Janeiro: Imago; Salvador: Fundação Cultural do Estado da Bahia, 2002.

SODRÉ, Muniz. A verdade seduzida: por um conceito de cultura no Brasil. 3. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

SENGHOR, Léopold S. Sobre a negritude. Diógenes: Revista Internacional De Ciências Humanas, Brasilia, n.2, p. 73-82, 1982.

TAVARES, Júlio César de. Dança de guerra – arquivo e arma: elementos para uma teoria da capoeiragem e da comunicação corporal afro-brasileira. Belo Horizonte: Nandyala, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Apoio