Trans-Forma Grupo Experimental de Dança e a construção da cena contemporânea em Belo Horizonte

Danielle Márcia Fernandes

Resumo


O Trans-Forma Grupo Experimental de Dança foi criado em 1971 pela bailarina Marilene Martins, apresentando uma proposta diferenciada em um contexto em que a dança clássica era a principal referência na formação do bailarino em Belo Horizonte. O artigo apresenta a trajetória artística do grupo, possibilitando reconhecer em sua proposta estética as transformações realizadas na formação do artista da dança e no cenário da dança na capital mineira. O Grupo atuou ao longo das décadas de 1970 e 1980 e sua proposta reverbera, ainda hoje, no trabalho desenvolvido por artistas que compuseram o grupo e que atuam na cena da dança contemporânea em Belo Horizonte.


Palavras-chave


História da dança. Marilene Martins. Grupo Trans-forma.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVARENGA, Arnaldo Leite de. Dança moderna e educação da sensibilidade: Belo Horizonte, 1959-1975. 2002. 53 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, 2002.

ALVARENGA, Arnaldo Leite de. Dulce Beltrão: o sentimento em dança. In: ALVARENGA, Arnaldo Leite de (Org). Série personalidades da dança em Minas Gerais. Livro 4. Belo Horizonte: Instituto Cidades Criativas, 2010.

BERNARDES, Luiz Carlos. Escolha seu sonho, viaje com o Trans-Forma. Jornal Estado de Minas, Caderno Pano Aberto, p. 2. Belo Horizonte, 8 de dez. de 1980.

CHRISTÓFARO, Gabriela Córdova. Marilene Martins: a dança moderna em Belo Horizonte. In: ALVARENGA, Arnaldo Leite de (Org.). Série personalidades da dança em Minas Gerais. Livro 5. Belo Horizonte: Instituto Cidades Criativas, 2010.

CHRISTÓFARO, Gabriela Córdova. Convivência e alteridade no processo de conhecimento em dança: a abordagem de Marilene Martins no Trans-Forma Centro de Dança Contemporânea. 2018. 219 f. Tese (Doutorado em Artes) – Escola de Belas Artes, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2018.

ESCOLHA O SONHO E VIAJE COM O TRANS-FORMA. Jornal Estado de Minas, Caderno Pano Aberto, Belo Horizonte, 1981.

GRUPO TRANS-FORMA: o ballet moderno em busca de público. Jornal de Minas, Belo Horizonte, 1 jun. 1975.

GUIMARÃES, Maria Cláudia Alves. Vestígios da dança expressionista no Brasil: Yanka Rudzka e Aurel von Milloss. 1998. 257 f. Dissertação (Mestrado em Artes) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, 1998.

HERRMANN, Dudude. Belo Horizonte, 9 jan. 2001. Entrevista concedida a Arnaldo Leite de Alvarenga. Disponível em: http://www.fafich.ufmg.br/historiaoral/index.php/por/Acervo-de- entrevistas/Historia-dos-Artistas-Mineiros-Danca/Dudude-Herrmann. Acesso em: 1 mar de 2019.

MAURÍCIO, José. Trans-Forma, um show de dança moderna. Jornal Estado de Minas. Belo Horizonte, 04 de novembro de 1972.

MOURA, José Adolfo. Belo Horizonte, 18 de abril de 2001. Entrevista concedida a Arnaldo Leite de Alvarenga. Disponível em: http://www.fafich.ufmg.br/historiaoral/index.php/por/Acervo-de entrevistas/Historia-dos- Artistas-Mineiros-Danca/Jose-Adolfo-Moura. Acesso em: 01 de agosto de 2019.

REIS, Maria da Glória Ferreira. Cidade e palco: experimentação, transformação e permanências. Belo Horizonte: Cuatiara, 2005.

REIS, Maria da Glória Ferreira. Carlos Leite: tradição e modernidade. In: ALVARENGA, Arnaldo Leite de (Org.). Série personalidades da dança em Minas Gerais. Livro 2. Belo Horizonte: Instituto Cidades Criativas, 2010.

TERRENO BALDIO: a mágica força da dança e do circo. Diário da Tarde. Belo Horizonte,13 agosto de 1979.

TRANS-FORMA é a libertação corporal na teoria de Reich. Jornal de Minas, Programa Complemento. Belo Horizonte, 13 set. 1973.

VASCONCELOS, Valdir. Marilene e o Trans-Forma. Jornal Estado de Minas, Caderno Fim de Semana, p.4. Belo Horizonte, 31 mai. de 1975.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Apoio