As dance constructions de Simone Forti: uma leitura a partir do conceito de dispositivo

Verônica Teodora Pimenta

Resumo


Por meio da pesquisa de doutorado intitulada, provisoriamente, Didática de Invenção na Improvisação em Dança, o texto aborda as Dance Constructions de Simone Forti como possíveis pontos de partida para uma reflexão sobre a improvisação em dança contemporânea. Esses trabalhos, estreados no início da década de 1960, foram concebidos a partir da aproximação entre a dança e escultura, em abordagens que destacavam a arte no seu processo de criação. Pergunta-se: por que esses materiais, tidos como efêmeros em seu contexto original, permanecem como referência não só para o estudo do repertório de Simone Forti como da improvisação em dança? A metodologia de trabalho consiste em revisão bibliográfica e leitura crítica e interpretativa das Dance Constructions. O objetivo é identificar elementos que permitam qualificar a improvisação em dança e o trabalho com o instante nas obras: Huddle, Slant Board, Platforms, See-Saw, Rollers Boxes, Accompaniment for La Monte’s 2 Sounds e Hangers. Por sua vez, as estratégias de improvisação em dança são perspectivadas a partir do entendimento de composição em tempo real desenvolvido pelo artista João Fiadeiro e do conceito de dispositivo em Michel Foucault e Gilles Deleuze. Segundo a presente leitura, nessas obras de Simone Forti o ato compositivo em dança é proporcionado por um conjunto de aparatos caracterizados pela proposição de roteiros de ação e tarefas a serem cumpridas pelos dançarinos.

Palavras-chave


Dance constructions. Simone Forti. Dispositivo. Improvisação.

Texto completo:

PDF

Referências


BIENAL DE SÃO PAULO. Vídeo de apresentação das Dance Constructions realizadas na 30ª edição [2012]. Publicado em 14 de janeiro de 2013. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=ubY7YcbSVDI. Acesso em: 23/11/2019.

BIENAL DE SÃO PAULO. Guia da exposição trigésima Bienal de São Paulo: iminência das poéticas. 7 de setembro a 9 de dezembro de [2012]. 190. Curadores: Luis Pérez-Oramas et. al.. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2012.

CORRÊA, Patrícia Leal Azevedo. Robert Morris em estado de dança. 2007. 200f. Tese (Doutorado em História). Departamento de História. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

DELEUZE, Gilles. O mistério de Ariana. Tradução e prefácio de Edmundo Cordeiro. 3ª edição. Lisboa: Nova Vega, 2015.

FIADEIRO, João. Composição em tempo real: anatomia de uma decisão. Lisboa: Ghost Edições, 2018.

FIADEIRO, João. Composição em tempo real [2008]. Disponível em: https://docdanca.files.wordpress.com/2013/10/fiadeiro-joc3a3c692c3a2c2a3o-composic3a3c692c3a2c2a7c3a3c692c3a2c2a3o-em-tempo-real.pdf. PDF gerado: 7 páginas. Acesso em: 08 jul. 2018.

FORTI, Simone. Handbook in motion: an account of an ongoing personal discourse and its manifestations in dance [1974]. 3ª edição. New York: New York University Press, 1998.

FORTI, Simone. Hangers (1961). Coreografia disponível em: https://vimeo.com/160209681. Performance realizada na Retrospectiva “Here It Comes” [2016] no centro de arte contemporânea Vleeshal Middelburg, em Middelburg, Holanda. Acesso em: 02 set. 2019. Duração: 9min.

FORTI, Simone Huddle (1961). Performance por attivisti della Danza. Florença, Itália [2014]. Disponível em: https://vimeo.com/189314153. Acesso em: 02 set. 2019.

FORTI, Simone. Huddle (1961). Peformance realizada no lançamento do livro “The Bear in the Mirror” na livraria San Serriffe, em Amsterdã, em 15/12/2018. Disponível em: https://vimeo.com/307836089 [2018]. Acesso em: 02 set. 2019.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. Organização e tradução de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão [1975]. 35ª edição. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 2008.

JANEVSKI, Ana; LAX, Thomas J. Judson dance theather: the work is never done (Org.). Nova York: MOMA, The Museum of Modern Art of New York, 2018.

LAKATTOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade. Fundamentos de metodologia científica. 5ª edição. São Paulo: Atlas, 2003.

LEPECKI, André. Exaurir a dança: performance e a política do movimento. Tradução de Pablo Assumpção Barros Costa. São Paulo: Annablume, 2017.

LIM, Nancy. Moma Collects: the Simone Forti dance constructions [2016]. Disponível em: https://www.moma.org/explore/inside_out/2016/01/27/moma-collects-simone-fortis-dance-constructions/. Acesso em: 26 jul. 2019.

MOMA. The Museum of Modern Art of New York. Simone Forti dance constructions. Disponível em: https://www.moma.org/learn/moma_learning/simone-forti-dance-constructions-1961/. Acesso em: 26 jul. 2019. 2 páginas (documento impresso gerado).

SIMONE FORTI an evening of Dance Constructions. Direção: Simone Forti. Estados Unidos, Artpix, 2009. DVD, color, 1h28min.

SPIVEY, Virginia B. The minimal presence of Simone Forti. Woman’s Art Journal, Philadelphia, Vol. 30, nº 01, p.11-18, Spring/Summer 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Apoio