Imaginário decomposto: poetizando sobre ruínas

Alexandre Silva Nunes

Resumo


O presente texto tem por objetivo discutir o imaginário do estado sócio-político contemporâneo, tomando o mythos do espetáculo O Homem Decomposto como referência poética. O espetáculo foi produzido no contexto do Núcleo Multidisciplinar de Pesquisa nas Artes da Cena – Laborsatori Teatro, a partir de uma adaptação do texto teatral Teatro Decomposto ou O Homem-Lixo, do romeno Matéi Visniec. Em seu formato final, o espetáculo busca discutir temas da atualidade, como o declínio dos direitos humanos, a pós-verdade e a perda dos referenciais sociopolíticos. Partindo de um futuro imaginado, o cotidiano atual é desconstruído num ambiente cênico onde os personagens expõem a ruina civilizatória atual e o absurdo existencial contemporâneo. O Homem Decomposto é o resultado das últimas pesquisas cênicas desenvolvidas pelo Laborsatori Teatro, nas quais o princípio de policentrismo da cena norteou o processo criativo, com base na correlação de horizontalidade entre as diversas dramaturgias: corpo, verbo, espaço e novas mídias. Como resultado, a comunicação busca discutir a urgência em se desdobrar o potencial político do imaginário e suas possibilidades de tratamento no contexto da teatralidade contemporânea.

Palavras-chave


Encenação. Pós-verdade. Imaginário. Direitos humanos. Dramaturgias da cena.

Texto completo:

PDF

Referências


CAMPBELL, Joseph. O herói de mil faces. São Paulo: Cultrix/Pensamento, 2007.

ESSLIN, Martin. O teatro do absurdo. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2018.

HILLMAN, James. Re-vendo a psicologia. Petrópolis: Vozes, 2010.

MAIA, Adriana. Matéi Visniec: um autor de muitas faces. Teatro Hoje, 2019. Disponível em: https://teatrohoje.com.br/2019/09/02/matei-visniec-um-autor-demultiplas-faces/. Acesso em 04/09/2019, 20h00.

VISNIEC, Matéi. Teatro decomposto ou o homem-lixo. São Paulo: É Realizações, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Apoio