Teatro de feira e sua relação com o teatro de variedades e circo no Brasil

Lílian Rúbia da Costa Rocha

Resumo


No Brasil, as expressões artísticas encontradas nas feiras e festas populares foram incorporadas à cena do Teatro de Variedades e do circo e se popularizou em vários teatros brasileiros. As exibições artísticas eram apresentadas em festas religiosas e feiras, em sua maioria produzidos por artistas e pessoas simples que criavam histórias e personagens utilizando o imaginário popular regional.  Temos como exemplo desse processo, o ator Francisco Corrêa Vasquez, ele atou nos espetáculos teatrais da barraca “Três Cidras do Amor”, durante o festejo do divino. Depois com a construção da cidade moderna e as mudanças que ocorram no espaço público, esse ator passou a atuar no Teatro de Variedades e em outros teatros da época. Nesse sentido, este trabalho busca por meio dessas transformações, refletir sobre a importância do teatro de feira para construção dos espetáculos de Teatros de Variedades e do circo no Brasil.


Palavras-chave


Teatro de feira. Teatro de variedades. Circo.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU. Martha. O império do divino: festas religiosas e cultura popular no Rio de Janeiro, 1830-1900. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

AVANZI, Roger & TAMAOKI, Verônica. O circo Nerino. São Paulo: Editora Pindorama Circus, 2014.

BOLOGNESI, Mario Fernando. Palhaços. São Paulo: Editora Unesp, 2003.

FREIRE, Susanita. O fim de um símbolo: Theatro João Minhoca Companhia Authomatica. Rio de Janeiro: Achiamé, 2000.

GUARDENTI, Renzo. Comedia dell’arte na França e teatro das feiras. Revista Repertório, Salvador, n 26, p.37-52, 2016.1.

LANNA, Ana Lúcia Duarte. Uma cidade na transição Santos: 1870-1913. São Paulo: Editora Hucitec, 1996.

LUCENA. Thiago Isaias Nóbrega de. Escrever o movimento: o cinema itinerante como reinvenção de uma estética do viver. Tese (Doutorado) – Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.

LIMA, Claudio Flores Serra. O teatro de variedades em J.-K. Huysmans: elementos da cenografia enunciativa. Dissertação de mestrado. Programa de Pós-Graduação em Letras Neolatinas da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2010.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. Festa no pedaço: cultura popular e lazer na cidade. 3.ª ed. São Paulo: Editora Hucitec/Unesp, 1998.

MARZANO, Andrea. Cidade em cena: o ator Vasques, o teatro e o Rio de Janeiro (1839-1982). Rio de Janeiro: Folha Seca, 2008.

MENCARELLI, Fernando Antônio. Cena aberta: a absolvição de um bilontra e o teatro de revista do Arthur Azevedo. Campinas: Editora da Unicamp, 1999.

MENDES, Miriam Garcia. A personagem negra no teatro brasileiro, entre 1838 e 1888. São Paulo: Ática, 1982.

PEREIRA, Matheus Serva. Uma viagem possível: da escravidão à cidadania. Quintino de Lacerda e as possibilidades de integração dos ex-escravos no Brasil. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em História, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2011, p. 236.

SILVA, Ermínia. Histórias do aqui e agora: cabaré e teatralidade circense. Artigo – VI Congresso de pesquisa e pós-graduação em Artes Cênicas, 2010.

SNYDER, Frederick Edwar. American vaudeville – Theatre in a package: the origins of mass entrertainment. Yale University, Ph.D., 1970. Seppech-theater. A dissertation presentad to the Faculty of the graduate school of Yale university in candidacy for the degree of doctor of philosophy.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Apoio