Estratégias de mediação cultural: possibilidades para as dramaturgias do espectador das artes da cena

Fernanda Andrade

Resumo


Nesta pesquisa, em curso, constrói-se um argumento teórico e discorre-se sobre ações de mediação cultural que possibilitem a construção da dramaturgia do espectador das artes da cena/dança. Vislumbram-se proposições metodológicas, processos emancipatórios que podem favorecer a construção de discursos narrativos arrazoados e sensíveis por parte do espectador contando com a presença do Mediador Cultural em ambiente não formal de educação. Cabendo a este compartilhar, inclusive, chaves de conhecimento como ferramentas que possibilitem provocar no espectador o que Aristóteles dizia se tratar de uma característica inata nos seres humanos, a tendência ao saber.

Palavras-chave


Dramaturgia. Espectador. Recepção. Mediação. Dança.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, A.; COUTINHO, R. Arte/Educação como mediação cultural e social. São Paulo: UNESP, 2009. 352 p.

BONDIA, J. Notas sobre a Experiência ou sobre o Saber da Experiência. São Paulo, Revista Brasileira de Educação, Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Educação, jan. – abr. nº19, p. 20-28, 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n19/n19a02.pdf. Acesso em: 07 de nov. 2015 CAUNE, J. La démocratisation culturelle, une médiation à bout de souffle. Grenoble: PUG, 2009. 208

p.

CLERC, A. Jean Caune, la démocratisation culturelle une médiation à bout de souffle. Questions de communication, n.15, p. 411-412, 2009. Disponível em: http://questionsdecommunication.revues.org/769 ˃ Acessado em 5 fev. 2016.

COELHO, T. O que é ação cultural! São Paulo: Brasiliense, 2002 (Coleção primeiros passos). 96 p.

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS – DUDH. Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas-ONU, A/Res/3/217A (10 de dezembro de 1948). Disponível em: http://www.dudh.org.br/. Acesso em: 19 jan. 2016.

DESGRANGES, F. A pedagogia do espectador. São Paulo: Hucitec, 2012. 186 p.

DEWEY, J. A Arte Como Experiência. São Paulo: Martins Fontes, 2010. 646 p.

DURAND, J. C. Cultura como objeto de política pública. São Paulo em Perspectiva, abr.– jun., v. 15, n. 2 p. 66-72, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br. Acesso em 24 jul. 2002.

FOURCADE, M. Lexique: La médiation culturelle et ses mots-clés. Québec: Culture pour tous, 9 p.2014. Disponível em: http://www.culturepourtous.ca/professionnels-de-laculture/mediation-culturelle/wp-. pdf. Acesso em 05 fev. 2016.

KANT. E. O que é o Iluminismo? Tradução: Artur Morão. LusoSofia, Covilhã. Disponível em: http://www.lusosofia.net/textos/kant_o_iluminismo_1784.pdf. Acesso em: 06 mar. 2014.

KOCH, I. G. V. O texto e a construção dos sentidos. São Paulo: Contexto, 2014. 124 p.

MARTINS, M. H. Democratização Cultural: Um desafio a ser enfrentado. Dez-2007. Disponível em: http://www.blogacesso.com.br/?p=63. Acesso em: 08 out. 2016.

MORAES, M. Formação de espectadores jovens e adultos: A recepção teatral no programa educativo “SESC Arte-educação Transformando Plateias. 2014, 136 f. Dissertação (Mestrado em Artes) – Curso de Pós-Graduação em Artes, Universidade Federal de Brasília, Distrito Federal. Disponível em: http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/16653/1/2014_MarthaLemosdeMoraes.pdf. Acesso em 18 de março de 2016.

OUTHWAITE, W.; BOTTOMORE, T. Dicionário do pensamento social do século XX. Rio de Janeiro: Zahar, 1996. Disponível em: https://books.google.com.br/books/about/Dicion%C3%A1rio_do_pensamento_social_do_s%C3%A9c.html?id=5anZ_pPuc8cC&redir_esc=y. Acesso em: 06 fev. 2016.

PAIS, A. O Discurso da Cumplicidade: Dramaturgias Contemporâneas. Lisboa: Edições Colibri, 2004. 122 p.

PATRIOTA, R. O Pós-Dramático na Dramaturgia. In: GUINSBURG, J., FERNANDES, S.(org.). O Pós-Dramático: Um conceito operativo?. São Paulo: Pespectiva, 2008. 43-58 p. (Coleção Debates).

PAVIS, P. Análise do Espetáculo. São Paulo: Editora Perspectiva, 2003. 344 p.

PEREIRA. M.B. Modernidade e tempo: Para uma leitura do discurso moderno. Coimbra: Livraria Minerva, 1990. 239 p.

SCHILLER, F. Sobre a educação estética do ser humano numa série de cartas e outros textos. Lisboa: Imprensa Nacional, 1993. 178 p.

WENDELL. N. Estratégias de mediação cultural. Salvador, Fundação Cultural do estado da Bahia – FUNCEB, Secretaria de Cultura da Bahia-SECULT, 51 p. 2013. Disponível em: http://www.fundacaocultural.ba.gov.br/arquivos/File/imagenswordpress/2014/09/estrategias-de-mediacao-cultural_ney-wendell_8-9.pdf>. Acesso em: 12 de fev. 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio