Procedimentos metodológicos de ensino de Artes Cênicas para desvios de situações de violência em escolas – uma proposição

Palavras-chave: Violência escolar, teatro do oprimido, somática, movimento autêntico, técnica Klauss Vianna.

Resumo

O objetivo é apresentar etapas de uma metodologia de ensino de artes cênicas voltada para escolas com problemas de violência. Conceitua-se a violência escolar. Adotando os pressupostos de possibilidade de atuação no controle da violência da psicologia social, apresenta-se o Teatro Social dos Afetos (TSA), baseado no Teatro do Oprimido. Agregam-se ao TSA as metodologias somáticas da Técnica Klauss Vianna e do Movimento Autêntico considerando o foco dessas abordagens na percepção do movimento. Apresenta-se um plano de curso de artes cênicas.

Biografia do Autor

Márcia Cristina Baltazar, Universidade Federal de Sergipe
Professora Adjunta do Departamento de Teatro da Universidade Federal de Sergipe. Doutora em Artes pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) com a defesa, em 2010, da tese Corpo que age, sente e pensa: Dramaturgias do meu corpo e do encontro de durações. Graduação em Ciências Econômicas (1996) e mestrado em Economia Social e do Trabalho (2000), ambos pela mesma universidade. Entre 2002 e 2004 integrou o Grupo Ínterim de pesquisa vocal vinculado ao Lume Teatro/ Campinas/SP. Em 2004, estreou o solo de teatro Tantas Outras Quantas, que circulou por vários festivais do país até 2010. Entre 2008 e 2010, participou, como atriz, de pesquisas e de produções do Barracão Teatro (Campinas/SP): experimentações com máscaras, performance e teatro na rua. De 2000 a 2014, ministrou cursos de teatro para diferentes públicos em escolas e em espaços não formais de ensino. Em 2011, ministrou aulas para adolescentes em regime de internação judicial em duas unidades de atendimento da Fundação Casa em Campinas. Em 2012, foi professora substituta para a área de teatro educação e objetos plásticos da cena na Faculdade de Teatro da Universidade Federal de São João Del Rei/MG. Em 2013 e 2014 foi orientadora de corpo e voz do Projeto Ademar Guerra (Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo).

Referências

ADORNO, Sérgio; NERY, Marcelo Batista. Crime e violências em São Paulo: retrospectiva teórico-metodológica, avanços, limites e perspectivas futuras. São Paulo: Caderno Metopolitano, v. 21, n. 44, pp. 169-194, jan/abr 2019.

BALTAZAR, Márcia C. Expressão corporal: educação somática e política. Repertório, Salvador, ano 22, n. 32, p. 182-197, 2019.

BALTAZAR, Márcia C. Aplicação da Técnica Klauss Vianna para a Expressão Vocal. Anais do 9º. Seminário de Dança Angel Vianna. N. 4, V. 1, Rio de Janeiro: Centro Coreográfico, out. 2015.

BRAZ, Luzia Carion. A iniciação ao treinamento do ator através da técnica corporal desenvolvida por Klauss Vianna. Dissertação de mestrado. São Paulo: CAC-ECA-USP, 2004.

CARDIA, Nancy. Exposição à violência: seus efeitos sobre valores e crenças em relação a violência, polícia e direitos humanos. Lusotopie, França/Brill, p. 299-328, 2003.

CARDIA, Nancy. Estado del arte de los programas de prevención de la violencia en jóvenes basados en la promoción del desarrollo. Washington, D. C.: OPS, 2006a.

CUBAS, Viviane. Violência nas Escolas: como defini-la? In: RUOTTI, Caren; ALVES, Renato; CUBAS, Viviane de Oliveira. Violência na Escola - um guia para pais e professores. São Paulo: Andhep: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006.

FERNANDES, Kelly Cristina; GARCIA, Daniela Fontes. O Teatro Social dos Afetos e a Violência na Escola. E-book. Publicado digitalmente em janeiro de 2021, São Paulo, Brasil.

FORTIN, Sylvie. Educação somática: novo ingrediente da formação prática em dança. Cadernos do Gipe-CIT, Salvador, n. 2, p. 40-53, fev. 1999.

JORGE, Soraya. Movimento Autêntico: uma cartografia do testemunho. Anais do I Encontro Internacional de práticas somáticas e dança [recurso eletrônico]: body-mind centering em criação, pesquisa e performance / Carla Sabrina Cunha [et al.]. (orgs.) – 1. ed. – Brasília: Ed. IFB, 2019.

MAGELA, André Luiz Lopes. Abordagem Somática na Educação Teatral. MORINGA - Artes do Espetáculo, [S. l.], v. 8, n. 1, 2017. DOI: 10.22478/ufpb.2177-8841.2017v8n1.34856. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/moringa/article/view/34856. Acesso em: 2 jun. 2021.

MILLER, Jussara. A escuta do corpo: sistematização da Técnica Klauss Vianna. São Paulo: Summus, 2007.

MILLER, Jussara. Qual é o corpo que dança? Dança e Educação somática para adultos e crianças. São Paulo: Summus, 2012.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível. Tradução Mônica Costa Netto. Lisboa: Editora 34, 2005.

ROLNIK, Suely. Esferas da Insurreição. Notas para uma vida não cafetinada. São Paulo: n-1 edições, 2018.

RUOTTI, Caren; ALVES, Renato; CUBAS, Viviane de Oliveira. Violência na Escola - um guia para pais e professores. São Paulo: Andhep: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006.

RUOTTI, Caren. Prevenção da Violência Escolar. In: RUOTTI, Caren; ALVES, Renato; CUBAS, Viviane de Oliveira. Violência na Escola - um guia para pais e professores. São Paulo: Andhep: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006.

VIEIRA, Marcilio Souza. Abordagens somáticas do corpo na dança. Revista Brasileira de Estudos da Presença, Porto Alegre, v. 5, n. 1, p. 127-147, jan./abr. 2015.

YUNES, Maria Angela Mattar. Psicologia Positiva e Resiliência: o foco no indivíduo e na família. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 8, num. esp., p. 75-84, 2003.

YUNES, Maria Angela Mattar; SZYMANSKI, Heloísa. Resiliência: noção, conceitos afins e considerações críticas. In: TAVARES, José. Resiliência e Educação. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2001.

Publicado
2021-12-16
Seção
Pedagogia das Artes Cênicas