“Atritos, rangidos e deleites de utopias”: o direito à cena

Alberto Ferreira da Rocha Junior

Resumo


Este trabalho fez parte da mesa redonda intitulada Teatro e História: historiografias do espetáculo e palcos de direitos humanos, proposta pela professora Beti Rabetti/Maria de Lourdes Rabetti e é resultado de pesquisa intitulada Diversidade sexual e teatro no Brasil: visibilidade, minoritarismo e representação, com financiamento pelo Edital de Demanda Universal 2018 do CNPq. A presença de personagens LGBTQIA+ nos palcos no Brasil, tímida ainda nos anos 1950 e 1960, ganha vigor a partir da década de 1970, mais especialmente a partir de 1973 com Greta Garbo, quem diria, acabou no Irajá, texto de Fernando Melo, inegável sucesso de público. Se naquele momento, ouvem-se os atritos entre a criação do espetáculo e os órgãos de censura e crítica, hoje os atritos se dão entre uma visão - talvez anacrônica - da parte de certo discurso em defesa da população LGBTQIA+ e as personagens de homossexuais masculinas afetadas. Nesse sentido, interessa-nos o rangido das articulações entre cena e direitos da população LGBTQIA+.


Palavras-chave


Teatro no Brasil; diversidade sexual; história das artes do espetáculo.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, Severino J. Tentative transgressions: homosexuality, AIDS, and the theater in Brazil. Madison: The University of Wisconsin Press, 2004.

ARFUCH, Leonor. O espaço biográfico: dilemas da subjetividade contemporânea. Trad. Paloma Vidal. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2010.

BRASIL. Lei nº 5.250, de 9 de fevereiro de 1967. Regula a liberdade de manifestação do pensamento e de informação. Diário Oficial da União, Brasília, 10 fev. 1967. Disponível em: . Acesso em 09 abr. 2021.

BRASIL. Decreto−lei nº 869, de 12 de setembro de 1969. Dispõe sôbre a inclusão da Educação Moral e Cívica como disciplina obrigatória, nas escolas de todos os graus e modalidades, dos sistemas de ensino no País, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 12 set. 1969. Disponível em: . Acesso em: 09 abr. 2021.

BRASIL. Lei nº 8.663, de 14 de junho de 1993. Revoga o Decreto−Lei nº 869, de 12 de dezembro de 1969, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 15 jun. 1993.

Disponível em: . Acesso em 09 abr. 2021.

CARNEIRO LEÃO, Emanuel. Platão, a luz e as sombras da crítica. In: Arte Palavra, Rio e Janeiro, 1986, nº1, p.18-p.23. A crítica em questão.

CENSURA corta “Misto quente”. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 27, Primeiro Caderno, 20 jul. 1972.

CHRYSÓSTOMO, Antônio. Caso Chrysóstomo: o julgamento de um preconceito. Rio de Janeiro: Codecri, 1983.

DERRIDA, Jacques. Spectres de Marx. L’État de la dette, le travail du deuil et la nouvelle Internationale. Paris: Galilée, 1993.

DERRIDA, Jacques. Espectros de Marx: o estado da dívida, o trabalho do luto e a nova Internacional. Trad. Anamaria Skinner. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1994.

DERRIDA, Jacques. Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Trad. Claudia de Moraes Rego. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

FERRER, Maria Clara. Presenças Impessoais: tons de humano na cena-paisagem. In: Revista Brasileira de Estudos da Presença, Porto Alegre, v. 7, n. 3, p. 626-648, set./dez. 2017. Disponível em:

GIORGI, Margherita de. Présence et Micropolitique du Sensible: Ouverture Alcina, un cas de composition postdramatique. In: Revista Brasileira de Estudos da Presença, Porto Alegre, v. 7, n. 3, p. 437-474, set./dez. 2017. Disponível em:

GREEN, James. Além do carnaval: a homossexualidade masculina no Brasil do século XX. São Paulo: Unesp, 2000.

GREEN, James; QUINALHA, Renan. Ditadura e homossexualidades: repressão, resistência e a busca da verdade. São Carlos: EdUFSCar, 2014.

HEIDEGGER, Martin. Ser e tempo. Trad. Márcia de Sá Cavalcante. Petrópolis: Vozes, 1988; 1989. 2v

LE GOFF, Jacques. Documento/Monumento. Trad. Suzana Ferreira Borges. In: História e memória. Campinas, SP: Ed. UNICAMP, 1996. p.535-553.

LOPES, Ângela Leite. Nelson Rodrigues: trágico, então moderno. 2ª ed. rev. e ampliada. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2007.

PELEIAS, Sandra. Pela arte, ele contrariou até o pai. Última Hora, Rio de Janeiro, 11 mar. 1982.

RODRIGUES, Nelson. Senhora dos afogados. In: Teatro completo. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1993a. p.671-728.

RODRIGUES, Nelson. Valsa nº6. In: Teatro completo. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1993b. p.395-430.

RODRIGUES, Nelson. Vestido de noiva. In: Teatro completo. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1993c. p.345-394.

RODRIGUES, Rita de Cassia Colaço. De Denner a Chrysóstomo, a repressão invisibilizada. As homossexualidades na ditadura. In: GREEN, James; QUINALHA, Renan. Ditadura e homossexualidades: repressão, resistência e a busca da verdade. São Carlos: EdUFSCar, 2014. P. 201− 244.

SARMENTO, Luís Carlos. Os “indesejáveis” fora da TV. O Jornal, Rio de Janeiro, p.3, Primeiro Caderno, 05 maio 1972.

SHAKESPEARE, William. Hamlet. Trad. F. Carlos de Almeida Cunha Medeiros e Oscar Mendes. In: Obra completa. Rio de Janeiro: Companhia José Aguilar Editora, 1969. p.529-619.

SHAKESPEARE, William. Hamlet. In: The complete works of William Shakespeare. New York: Grosset & Dunlap, 1911. p.1007-1052.

SILVA, Wellington Amancio da. Hans Ulrich Gumbrecht Leitor de Martin Heidegger: Concepção de produção de presença. In: Revista Brasileira de Estudos da Presença, Porto Alegre, v. 7, n. 3, p. 505-522, set./dez. 2017. Disponível em:

SOUZA, Arivaldo Sacramento de. Nas tramas de Greta Garbo, quem diria, acabou no Irajá: crítica filológica e estudo de sexualidades. Tese (Doutorado em Letras e Linguísticas) – Universidade Federal da Bahia. Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguísticas. Orientadora: Dra. Rosa Borges dos Santos. 2014.

STEIN, Gertrude. A Autobiografia de Alice B. Toklas. Trad. José Rubens Siqueira. São Paulo: Cosac Naify, 2009.

STEIN, Gertrude. A Autobiografia de todo mundo. Trad. Júlio Castañon Guimarães. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

TREVISAN, João Silvério. Devassos no paraíso: a homossexualidade no Brasil, da colônia à atualidade. 4. ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio