As performatividades dos corpos professorais

Letícia Leonardi

Resumo


Apresento neste artigo algumas imagens de docentes para discutir sobre o corpo vibrátil desperto como um elo entre as performatividades de professores e de artistas, corpo que participa das experiências na sala de aula. Figuras como a pesquisadora professora, o professor militante, o professor performer e toda uma infinidade de possibilidades de performatividades docentes associadas à ideia de processos artístico-pedagógicos de natureza cartográfica são retomadas a fim de promover reflexões acerca de diferentes formas de percepção sobre a experiência da docência e as suas possibilidades de metamorfose, trânsito e deriva.


Palavras-chave


Teatro; Educação; Espaço performático; Corpos vibráteis; Imagens de professores.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Nilda. Imagens de Professoras e Redes Cotidianas de Conhecimentos. Educar em Revista, n. 24, pp. 19-36, 2004. Curitiba: Editora UFPR. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0104-4060.348. Acessado em 13/08/2021 às 10:50.

ANDRADE, Oswald de. Manifesto Antropófago, por Clara Assumpção. [S.l.]: Editorial Experimental. [s.d.]. Disponível em: https://issuu.com/editorialexperimental/docs/manifesto_pdf. Acessado em 14/08/2021 às 11:10.

ANDRÉ, Caminda Mendes; BAPTISTA, Ana Maria Haddad. Para o chão da sala de aula. [S.l]: BT Acadêmica, 2018. E-book.

CIOTTI, Naira. O Professor-performer. Natal, RN: EDUFRN, 2014.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil Platôs: Capitalismo e Esquizofrenia, v. 4. São Paulo: Editora 34, 2004.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade, v. 2: o uso dos prazeres. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

GALLO, Sílvio. Em Torno de uma Educação Menor. Educação & Realidade. v. 27, n. 2. pp. 169-178. 2002. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/25926. Acessado em 13/08/2021 às 13:40.

JACQUES, Paola Berenstein. Estética da Ginga: A Arquitetura das Favelas Através da Obra de Hélio Oiticica. Rio de Janeiro: Casa da Palavra/RIOARTE, 2001.

LEONARDI, Letícia. Dramaturgias Contemporâneas em Educação: Poéticas Performativas no Cotidiano Escolar, 2019. Tese (Doutorado em Artes) – Instituto de Artes, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2019. Disponível em: . Acessado em 13/08/2021 às 12:50.

PRINS, Baukje; MEIJER, Irene Costera. Como os Corpos se Tornam Matéria: Entrevista com Judith Butler. Estudos Feministas, v. 10, n. 1, pp. 155-167, 2002. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-026X2002000100009. Acessado em 13/08/2021 às 11:00.

QUILICI, Cassiano Sydow. O Ator-performer e as Poéticas da Transformação de Si. São Paulo: Annablume, 2015.

RACHEL, Denise Pereira. Adote o Artista, Não Deixe Ele Virar Professor: Reflexões em Torno do Híbrido Professor-performer. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2014.

RANCIÈRE, Jacques. O Mestre Ignorante: Cinco Lições Sobre Emancipação Intelectual. Trad. Lílian do Valle. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

ROLNIK, Suely. Cartografia Sentimental: Transformações Contemporâneas do Desejo. São Paulo: Estação Liberdade, 1989.

SAFATLE, Vladimir. Uma política dos afetos. Substantivo Plural, 2014. Disponível em: http://www.substantivoplural.com.br/uma-politica-dos-afetos/. Acessado em 14/08/2021 às 11:20.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula. (Orgs.) Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

SERPA, Andréa. As Alunas que Fomos, As Professoras que nos Tornamos: Conversas Sobre as Tramas de Nossa Formação. s/d. Disponível em: http://www.andreaserpauff.com.br/arquivos/artigos/AS%20ALUNAS%20QUE%20FOMOS%20AS%20PROFESSORAS%20QUE%20NOS%20TORNAMOS.pdf. Acessado em: 13/ 08/ 2017 às 11:15.

SPINOZA, Baruch de. Ética. Trad. Tomaz Tadeu. Belo Horizonte: Autêntica, 2009. E-book.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio