A subversão e o corpo em quatro peças de Beckett

Isadora Saraiva Vianna de Resende Urbano

Resumo


Resumo: O artigo explora algumas das relações entre o corpo e o drama na composição da dramaturgia beckettiana, tomando como referências as peças Esperando Godot, Fim de partida, Dias felizes e Não eu, apoiadas especialmente nos textos de Peter Szondi e Jean-Pierre Sarrazac, teóricos do drama moderno, e de Eliane Robert Moraes e David Le Breton, pensadores das teorias da corporalidade.

Palavras-chave: Beckett; Teatro do Absurdo; Dramaturgia.


Texto completo:

PDF