Notícias

A revista MODOS recebe submissões em fluxo contínuo, independentemente das chamadas para Dossiês Temáticos.

Chamada para dossiê – Call for Papers

 

Uma ocorrência recorrente: bienais e exposições periódicas de arte contemporânea

No atual momento de escalada dos casos de Covid-19 no país, ainda pairam dúvidas sobre a repetição ‘obstinada’, conforme anotou Vilém Flusser na ocasião da décima edição da Bienal de São Paulo. Perto de completar 70 anos de existência, em 2021, existe a possibilidade de que um novo hiato devolva a exposição aos anos ímpares, como quando de sua criação. Sem pretender aderir ao tom celebratório ou mesmo se restringir ao evento paulistano, este dossiê abordará as bienais, trienais, documentas e afins, procurando articular duas dimensões poucas vezes analisadas simultaneamente. Por um lado, as bienais são instituições de mais de um século de existência, com reconhecida importância desde o final do século XIX, tendo desempenhado papel fundamental tanto na formação de um circuito internacional para a arte moderna e contemporânea, como para a promoção do consumo cultural ligado ao turismo e aos grandes eventos. Por outro lado, a proliferação das bienais nas últimas três décadas, nos mais diversos países, fazem da ‘bienalização’ um fenômeno específico da arte contemporânea e um traço característico do ‘global turn’, correlativo às novas configurações da geopolítica das artes e de seus mercados transnacionais. As reflexões sobre esse contexto contemporâneo se fazem, porém, com frequência, sem articulação com a perspectiva de longa duração e a história institucional. Pensar esse movimento específico pós-1989 e, ao mesmo tempo, as origens e transformações de modelo Bienal ao longo do último século e meio, é a proposta deste dossiê. É necessário pensar efemeridades e permanências, heranças materiais e imateriais deixadas pelos sucessivos eventos, e propor uma reflexão crítica que se torna tanto mais urgente diante de um possível esgotamento desse modelo, cuja sobrevivência se vê ameaçada pela crise atual.

Prazo de submissão: 31 de janeiro de 2021.

Organizadores: Gabriel Ferreira Zacarias (Universidade Estadual de Campinas) Vinicius Pontos Spricigo (Universidade Federal de São Paulo).

 

A recurring occurrence: biennials and perennial exhibitions of contemporary art

As the spread of coronavirus cases continues to escalate in the country, the São Paulo Bienal faces uncertainty, and might cease to be an ‘obstinate’ repetition, as Vilém Flusser had termed at the occasion of its tenth edition. With the coming of the 70th anniversary of the São Paulo Bienal (2021), we invite contributions for a thematic publication on biennials and perennial exhibitions. Our objective is not that of celebrating the local event, but rather that of proposing a broader discussion on biennials, triennials, documentas and related exhibitions, aiming to analyse it in a twofold perspective. On the one hand, the biennials are institutions with more than one hundred years of existence, that since the late nineteenth century have played an important role in the formation of an international circuit for modern and contemporary art, equally promoting the rise of cultural consumption and tourism that accompany large scale events. On the other hand, the proliferation of biennials in the last three decades in several countries make the ‘biennalisation’ a specific phenomenon of contemporary art and a characteristic trace of the ‘global turn’, linked to new geopolitical configurations of the arts and its transnational markets. Nevertheless, the reflections about this contemporary realm seem often to disregard long term perspectives as well as institutional historical approaches. This issue aims to address both dimensions concomitantly: the specific movement post-1989 and, at the same time, the historical transformations of the biennial model through the past one and a half century. Hence, addressing ephemerality as well as permanence, taking into account the material and immaterial legacies left by such recurrent events. Finally, we would like to promote a critical reflection on the biennial model, in view of the current crisis that might threaten its very continuity. 

Submission deadline: January 31, 2021.

 
Publicado: 2020-07-18
 

Chamada para dossiê – Call for Papers

 

A "virada global" como um futuro disciplinar para a História da Arte

As discussões sobre a "virada global" na História da Arte estão ganhando cada vez mais espaço. Desde o final do século passado, os historiadores da arte voltaram seus procedimentos e métodos para aprofundar as conexões, trocas, interdependências, mobilidade e culturas visuais compartilhadas entre grupos geograficamente diversos. As pesquisas realizadas nesse contexto abriram novos caminhos para materialidades, obras e objetos pouco estudados ou conhecidos. É cada vez mais necessário incentivar a pesquisa que conecte as várias regiões e formas culturais. Como os insights de estudos regionais e locais podem ser integrados em uma rede internacional inclusiva de atividades acadêmicas? Convidamos propostas teóricas criativas e estudos de caso estratégicos de todos os campos, locais e épocas para prever um futuro para a história da arte global, concentrando-nos em conectividades, diferenças culturais negociadas e processos históricos dinâmicos. Esse futuro disciplinar resiste à lógica da globalização econômica, evita o enquadramento nacional de seus objetos de investigação, evita hierarquias de gênero, rejeita o presentismo histórico e põe em causa reivindicações não examinadas de universalidade.

Prazo de submissão: 30 de abril de 2021.

Organizadoras: Flavia Galli Tatsch (Universidade Federal de São Paulo); Claire Farago (University of Colorado Boulder).


The "global turn" as a disciplinary future for Art History

Discussions about the "global turn" in Art History are gaining more and more space. Since the end of the last century, art historians have turned their procedures and methods towards deepening the connections, exchanges, interdependencies, mobility and visual cultures shared between geographically diverse groups. The researches carried out in this context opened new paths for materialities, works and objects little studied or known. It is increasingly necessary to encourage research that connects the various regions and cultural forms. How can the insights of regional and local studies be integrated into an inclusive international network of scholarly activity? We invite creative theoretical proposals and strategic case studies from all fields, places, and times to envision a future for global art history by focusing on connectivities, negotiated cultural differences, and dynamic historical processes.  Such a disciplinary future resists the logic of economic globalization, avoids the national framing of its objects of investigation, eschews hierarchies of genre, rejects ahistorical presentism, and puts into question unexamined claims to universality.

Submission deadline: April 30, 2021.

 
Publicado: 2020-06-18
 
1 a 2 de 2 itens