As imagens digitais como matriz poética da composição cênica

Natalia Soldera

Resumo


O artigo examina espetáculos teatrais, que tem como fator comum a presença de imagens digitais como matriz de composição de suas poéticas. Pretende-se observar aproximações e afastamentos entre essas criações, evidenciando que a presença de tecnologias de imagem não determina uma única linguagem ou aproximação da cena teatral, mas sim pode proporcionar múltiplas possibilidades ativas de jogo.

 


Palavras-chave


Teatro e imagens digitais. Criações intermediais. Matérias de composição da cena.

Texto completo:

PDF

Referências


Big Art Group: Flicker. Disponível em: . Acesso em: 25/08/2015.

DUBATTI, Jorge. Cartografia Teatral: Introdución al Teatro Comparado. Buenos Aires: Atuel, 2008.

DUBATTI, Jorge. Filosofia Del Teatro I: convivio, experiencia, subjetividad. Buenos Aires: Atuel, 2007.

Ex-Machina: The Andersen Project. DVD em acervo da pesquisa Cena e Intermedialidade, coordenada pela professora Dra. Marta Isaacsson.

FAGUNDES, S. Patrícia. O processo de ensaios como mecanismo de relações: um dispositivo festivo. Anais da VI Reunião Científica da ABRACE. Porto Alegre, 2011.

Imagens do espetáculo The Andersen Project. Disponíveis em:

andersen_project/#id=album-11&num=0>.Acesso em 25/08/2015.

Imagens do espetáculo Flicker, disponíveis em: . Acesso em 25/08/2015.

ISAACSSON, Marta. Le Projet Anderson, Lepage e a performance da imagem técnica. Revista Poiésis, Niterói, n 16, p. 63-73, Dez. de 2010.

GALLAGHER-ROSS, Jacob. Image Eaters: Big Art Group Brings the Noise. TDR/The Drama Review, Cambridge, v. 54, n. 4, p. 54-80, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


(c) Conceição | Concept., Campinas (SP) - ISSN 2317-5737.