En Contra – experimentos: fricções entre espacialidades e dramaturgias

Alice Stefânia Curi, Diego Borges, Rita de Almeida Castro

Resumo


O texto discute aspectos estéticos da obra En Contra – experimentos, do coletivo brasiliense Teatro do Instante. O grupo se propôs a experimentar as potencialidades de espaços não convencionais friccionados com o texto dramatúrgico Contra o Progresso do catalão Esteve Soler, e com dimensões de dramaturgias sensoriais e corporais.


Palavras-chave


Experiência. Espaço. Dramaturgias.

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, Amílcar Borges de. Dramaturgia Corporal. Acercamiento y distanciamento hacia la accion y la escenifica- ción corporal. Santiago: Editorial Cuarto Propio, 2011.

BRITES, João. Teatro O Bando: Afectos e reflexos de um Trajecto. 1a ed. Palmela: Grupo de Teatro O Bando, 2009.

DUARTE JR., João Francisco. O sentido dos sentidos. A educação (do) sensível. Paraná: Criar Edições, 2010.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Produção de Presença. O que o sentido não consegue transmitir. RJ: Contraponto e PUC-Rio. 2010 LEHMANN, Hans-Thies. Teatro pós-dramático. Tradução de Pedro Sussekind. São Paulo: Cosac & Naif, 2007.

MALNIC, Bettina. O cheiro das coisas. O sentido do olfato: paladar, emoções e comportamentos. Rio de Janeiro: Vieira Et Lent, 2008.

RICOUER, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2007.

SANTOS, Valmir. Deslocar é preciso, a aridez em Esteve Soler. Site: Telejornal – Leituras de Cena, 2015. Disponível em: http://teatrojornal.com.br/2015/09/deslocar-e-preciso-a- aridez-em-esteve-soler/


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


(c) Conceição | Concept., Campinas (SP) - ISSN 2317-5737.