A montagem da peça Ratos e Homens, de John Steinbeck, pelo Teatro de Arena e a apropriação do conceito de realismo stanislavskiano

Paula Chagas Autran Ribeiro

Resumo


O presente artigo versa sobre a montagem da peça Ratos e Homens, de John Steinbeck, dirigida por Augusto Boal no Teatro de Arena, em 1956. Analisa-se a forma como o conceito de realismo, central na obra do teórico russo Constantin Stanislavski, é apropriado (e ressignificado) por ele e, a partir dessa encenação, passa a ser central tanto em sua obra, como no cenário teatral brasileiro.


Palavras-chave


Teatro de arena. Dramaturgia realista norte-americana. Stanislavski.

Texto completo:

PDF

Referências


BOAL, Augusto. Hamlet e o Filho do Padeiro. Rio de Janeiro, Record, 2000.

BOAL, Augusto. 200 Exercícios e Jogos para o Ator e Não Ator com Vontade de Dizer Algo Através do Teatro. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1982.

BOAL, Augusto. Programa da Peça Ratos e Homens. Teatro Arena, São Paulo, 1956. Disponível em: . Acesso em: 01 jun. 2016.

BOLESLAVSKI, Richard. A Arte do Ator. São Paulo, Perspectiva, 1992.

CARVALHO, Sérgio de. Introdução ao Teatro Dialético. Experimentos da Companhia do Latão. São Paulo, Expressão Popular, 2009.

GASSNER, John. Rumos do Teatro Moderno. Rio de Janeiro, Lidador, 1966.

PEIXOTO, Fernando. Teatro em Movimento. 3 ed. São Paulo, Hucitec, 1989.

SILVEIRA, Miroel. A Outra Crítica. São Paulo, Símbolo. 1976.

BETTI, Maria Silvia. O Impulso e o Salto: Boal em Nova York (1953-1955). Sala Preta (USP). São Paulo, v. 15, n. 1, 2015. Disponível em: . Acesso em: 01 jun. 2016.

COSTA. Iná Camargo. O Momento Boal. Instituto Augusto Boal (Blog Oficial). Rio de Janeiro, 9 set. 2012. Disponível em: . Acesso em: 01 jun. 2016.

PIACENTINI, Ney Luiz. Eugênio Kusnet: do Ator ao Professor. 115 f. Dissertação (Mestrado em Artes) – Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, 2011.




Apontamentos

  • Não há apontamentos.


(c) Conceição | Concept., Campinas (SP) - ISSN 2317-5737.