A Escuta Musical na era da Convergência e da Mobilidade

José Eduardo Ribeiro de Paiva

Resumo


A partir do fonógrafo a escuta musical ganhou novas dimensões, intimamente ligadas aos aparelhos de reprodução sonora que muitas vezes se tornaram até mais importantes que a música em si. A partir dos anos 80, a escuta ganhou mobilidade com o surgimento do walkman, e os processos de digitalização das  informações sonoras trouxeram a possibilidade do usuário criar sua própria trilha musical, quebrando a unidade conceitual presente em muitos discos. Por outro lado, a utilização massiva dos formatos de compressão sonora como o mp3 fazem com que muitas gravações tenham de ser produzidas pensando nas limitações que trazidas por ele, e a junção destes fatores nos aponta para um nova forma de produção sonora e mobilidade da escuta.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Creative Commons

URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/

 

Revista Sonora - ISSN 1809-1652
Grupo de pesquisa Tecnologia, Mídia, Criação Sonora e Audiovisual 
Instituto de Artes
Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)