O artista que teoriza. Do confronto ao desconfronto

Jorge Abade

Resumo


O artigo versa, essencialmente, sobre os principais problemas com que um artista se depara quando faz investigação: a que é inerente ao ato criativo mas, principalmente, a uma investigação paralela ou combinada com essa atividade de criação artística, academicamente apelidada de científica, de cariz teórico. Indigita também, no entanto, a pertinência dessa atividade dupla simultânea, nomeadamente por serem empreendimentos que poderão estar mutuamente enredados.

Abstract

The article deals, essentially, with the main problems that an artist encounters when he does research: that which is inherent to the creative act but, mainly, to a parallel or combined investigation with this activity of artistic creation, academically dubbed scientific, theoretical aspect. However, it also indicates the relevance of this simultaneous dual activity, namely because they are undertakings that could be mutually entangled.

Resumen

El artículo versa esencialmente sobre los principales problemas con que un artista se enfrenta cuando hace investigación: la que es inherente al acto creativo pero, principalmente, a una investigación paralela o combinada con esa actividad de creación artística, académicamente apodada de científica, el carácter teórico. Indigita también, sin embargo, la pertinencia de esta actividad doble simultánea, en particular por ser emprendimientos que podrán estar mutuamente enredados.


Palavras-chave


criação artística, pintura, investigação, confrontro, desconfrontro

Texto completo:

PDF

Referências


ARNHEIM, Rudolf. Arte & percepção visual: uma psicologia da visão criadora. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 2004.

ARNHEIM, Rudolf. O poder do centro: um estudo da composição nas artes visuais. Lisboa: Edições 70, 1990.

BAUDRILLARD, Jean. O crime perfeito. Lisboa: Relógio D ́Água, 1996.

DUCHAMP, Marcel – “The creative act”, in: Theories and documents of contemporary art: a source book of artists' writings. Califórnia: University of Califórnia Press, 1996, pp. 818-819.

HENRIC, Jacques. La peinture et le mal. Paris : Exilis Éditeur, 2000.

MARIN, Louis. To destroy painting. Chicago: The University of Chicago Press, 1995.

PESSOA, Fernando. Livro do desassossego. Porto: Assirio & Alvim, 2016.

PIZON, Pierre. Le rationalisme dans la peinture. Paris: Dessain et Tolra, 1978.

STEINER, George. Gramáticas da criação. Lisboa: Relógio D’Água, 2002.

VIRILIO, Paul; LOTRINGER, Sylvère. The Accident of Art. Los Angeles: Semiotext(e), 2005.

WOLLHEIM, Richard. Painting as an Art. New Jersey: Princeton University Press, 1990.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix – O anti-édipo. Capitalismo e esquizofrenia. Lisboa: Assírio & Alvim, 2004.




DOI: https://doi.org/10.20396/rv.v3i4.815

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Visuais



 
A Revista Visuais está licenciada com a Creative Commons. 

Rev. Visuais, Campinas, SP - ISSN - 2447-1313.