A violência está no ar: olhares sobre a violência representada na arte

Luís Jorge Gonçalves, Cláudia Matos Pereira

Resumo


 

Este artigo apresenta uma reflexão sobre o propósito das imagens e a origem de modelos compositivos, a partir da iconografia da violência coletiva. Procura-se ainda, propor um modelo de intencionalidade das imagens na arte antiga do mediterrâneo e na arte do Brasil, desde a pré-história ao século XXI. 

Abstract

This article presents a reflection on the purpose of the images and the origin of compositional models, based on the iconography of collective violence. It also seeks to propose a model of intentionality of images in the Mediterranean’s ancient art and in the Brazilian art, from prehistory until the 21st century.

Resumen

Este artículo presenta una reflexión sobre el propósito de las imágenes y el origen de modelos compositivos, a partir de la iconografía de la violencia colectiva. Se busca, proponer un modelo de intencionalidad de las imágenes en el arte antiguo del mediterráneo y en el arte de Brasil, desde la prehistoria al siglo XXI.

 


Palavras-chave


Olhares sobre a violência; Representação; História da Arte

Texto completo:

PDF

Referências


ARISTÓTELES. Política. Lisboa: Nova Vega, 2016.

BIANCHI BANDINELLI, R. B. Roma: L’Arte Romana nel Centro del Potere. Milano: BUR Arte, 1999.

BIANCHI BANDINELLI, R. B.; TORELLI, M. El arte de la antigüidad Clásica, Etruria e Roma. Madrid: Ediciones Akal, 2000.

BRILLIANT, R. Narrare Per Immagini. Racconti di Stori nell’arte etrusca e romana. Firenza: Giunti Barbéra, 1987.

BUCO. C. Arqueologia do Movimento. Relações entre Arte Rupestre, Arqueologia e Meio Ambiente, da Pré-história aos dias atuais, no Vale da Serra Branca. Parque Nacional Serra da Capivara, Piauí, Brasil. [Tese de doutoramento apresentada na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Portugal]. Vila Real: UTAD, 2012.

CLASTRES, P. Archeólogie de la violence. La guerre dans les sociétés primitives. Paris: L’Aube, 2010.

CUNHA, E. Sertões. São Paulo: Editora Três, 1973.

DAMÁSIO A. O livro da consciência: a construção do cérebro consciente. Lisboa:

Temas e Debates, 2010.

DIAS, E. Arte e academia entre política e natureza (1816-1857) In: BARCINSKI, F.W. (org.). Sobre a arte brasileira da pré-história aos anos de 1960. São Paulo: Sesc e Martins Fontes, 2014, pp. 136-173.

DOSTOIEVSKI, Fiodor M. Crime e Castigo. [Publicação Original: 1866]. São Paulo, Biblioteca Digital da PUC-Campinas. [Data da Digitalização: 2004]. Disponível em: Acesso em: 5/08/2017.

revista visuais : :: no 5, v.3 ::: 2017

GUILAINE, J.; ZAMMIT, J. Le sentier de la guerre. Visage de la violence préhistorique. Paris: Seuil, 2001.

HOUAISS, A. Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Lisboa: Circulo dos Leitores, 2003.

KRUG, E. G.; DAHLBERG, L. L.; MERCY, J. A.; ZWI, A. B.; LOZANO, R. Informe mundial sobre la violencia y la salud. New York: Organización Panamericana de la Salud, 2012.

SCHWARCZ, L. A batalha do Avaí - a beleza da barbárie: a Guerra do Paraguai pintada por Pedro Américo. Rio de Janeiro: Sextante, 2013.

SOUZA, Ph. La guerra en el mundo antiguo. Madrid: Akal, 2008.

STADEN, H. Viagem ao Brasil. Texto integral, 1557. São Paulo: Martin Claret, 2010.

VITEBSKY, P. O Xamã: viagens de alma, transe, êxtase e cura desde a Sibéria ao Amazonas. Köln: Taschen, 2001.

ZANKER, P. I barbari, i’imperatore e l’arena. Immagini di violenza nell’ arte romana. In:.Un’ arte per l’impero. Funzione e intenzione delle immagini nel mondo romano. Milano: Electra, 2002, pp. 38-62.




DOI: https://doi.org/10.20396/rv.v3i5.905

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista Visuais



 
A Revista Visuais está licenciada com a Creative Commons. 

Rev. Visuais, Campinas, SP - ISSN - 2447-1313.