Fenômenos latentes: espaço, tempo e inconsciente óptico em fotografias científicas

Erik Nardini Medina

Resumo


O presente artigo propõe aproximações entre as noções de inconsciente óptico benjaminianas e as ideias de redução fenomenológica descritas por Moles. O texto utiliza tais conceitos para explorar o universo das fotografias científicas tradicionais ­– de fenômenos muito pequenos, muito distantes, excessivamente rápidos ou notadamente lentos. Reconhecendo que tais fenômenos não são visíveis a partir da óptica natural, o artigo constrói uma narrativa que revela como determinados métodos são adotados na apreensão e no visionamento de fenômenos latentes, os quais se apresentam eles mesmos em escalas espaço-temporais distintas, observáveis apenas a partir de próteses: mecanismos de fazer-ver. 

Abstract

The present article – Latent phenomena: space, time and unconscious optical in scientific photographs – suggests approaches between Walter Benjamin's notions of the Optical Unconscious and the ideas of Phenomenological Reduction as described by Abraham Moles. The article adopts such concepts to explore the universe of traditional scientific photography: pictures of the very small, the far-off, the excessively rapid and of notably slow phenomena. By noting that such phenomena are not visible by the naked eye, the article builds a narrative that reveals how some methods are adopted to apprehend (or capture) and to observe latent phenomena, which presents themselves in distinct spatial and temporal scales, visible only by using what we will be referring to as Prostheses, or advanced "to-see" mechanisms.

Resumen

El presente artículo propone aproximaciones entre las nociones de inconsciente óptico benjaminianas y las ideas de reducción fenomenológica descritas por Moles. El texto utiliza tales conceptos para explorar el universo de las fotografías científicas tradicionales - de fenómenos muy pequeños, muy distantes, excesivamente rápidos o notablemente lentos. Reconociendo que tales fenómenos no son visibles a partir de la óptica natural, el artículo construye una narrativa que revela cómo determinados métodos se adoptan en la aprehensión y en la visualización de fenómenos latentes, los cuales se presentan ellos mismos en escalas espacio-temporales distintas, observables apenas a la luz de las prótesis: mecanismos de hacer-ver.


Palavras-chave


Fotografia; Fotografia científica; Inconsciente óptico; Redução fenomenológica

Texto completo:

PDF

Referências


BARTHES, Roland. O óbvio e o obtuso. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1990. _____________________. A câmara clara. São Paulo: Nova Fronteira, 2012.

BREA, José Luis. El Inconsciente Óptico y el Segundo Obturador. La Fotografía en la era de su Computerización. Disponível em: http://laselecta.org/archivos/joseluisbrea/Elinconcienteoptico.pdf. Acesso em: 4 de novembro de 2017.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Falenas. Lisboa: KKYM, 2015.

FARINA, Mauricius Martins. O inconsciente óptico em imagens decantadas. In: Ecossistemas Artísticos: anais do 23o Encontro Nacional da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas – ANPAP, 2014, Belo Horizonte, MG. Anais (on- line). Belo Horizonte: ANPAP, 2014. Disponível em http://www.anpap.org.br/anais/2014/ANAIS/ANAIS.html. Acesso em 2 de dezembro de 2017.

FLORES, Victor. Inconsciente óptico. In: Imagem – dicionário crítico. Disponível em http://www.artecoa.pt/index.phpLanguage=pt&Page=Saberes&SubPage=Comunica caoELinguagemImagem&Menu2=Autores&Slide=39. Acesso em 1 de dezembro de 2017.

HARAWAY, Donna. Saberes localizados: a questão da ciência para o feminismo e o privilégio da perspectiva parcial. Cadernos Pagu. No. 5. Campinas: Unicamp, 1995. Disponível em https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/1773. Acesso em 12 de setembro de 2017.

MOHÓLY-NAGY, Lazlo. Del pigmento a la luz. In FONTCUBERTA, Joan. Estética fotográfica. Selección de textos. Barcelona: Editorial Blume, 1984.

_________________________. Pintura, fotografia, cine y otros escritos sobre fotografia. Barcelona: Gustavo Gigli. 2005.

MOLES, Abraham. A criação científica. São Paulo: Editora Perspectiva, 1971. PLAZA, Julio. As imagens de terceira geração, tecno-poéticas. In: André Parente. (Org.). Imagem máquina. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993. p. 72-88.

______________. TAVARES, Monica. Processos criativos com os meios eletrônicos: poéticas digitais. São Paulo: Editora Hucitec, 1998.

SANTAELLA, Lucia. Pós-humano – por quê? In: Revista USP n. 74. São Paulo: junho/agosto, 2007. Disponível em https://www.revistas.usp.br/revusp/article/viewFile/13607/15425. Acesso em 15 de novembro de 2017.




DOI: https://doi.org/10.20396/rv.v3i5.993

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Revista Visuais



 
A Revista Visuais está licenciada com a Creative Commons. 

Rev. Visuais, Campinas, SP - ISSN - 2447-1313.