O suspiro de uma performance

Regina Lúcia Portela

Resumo


Este artigo sugere uma escrita performativa que flutua entre ficção e realidade, cena e cotidiano, teoria e encenação, aportando em percepções reflexivas acerca da viagem realizada pelo Grupo de Teatro da Polícia Militar da Bahia a Nova Iorque. As performances observadas dentro e fora do grupo constituíram o cenário propício para analisar, à luz dos Estudos Culturais, o imbricado de significações entre as relações e representações sociais sobre sexualidade, gênero, etnia, classe, corpo e poder; evidenciando nessa reflexão os processos cênicos e lúdicos na construção de papéis sociais e identidades culturais. Ampara-se metodologicamente em uma abordagem qualitativa fazendo uso de procedimentos da pesquisa autobiográfica e história oral.

Palavras-chave


Teatro; Polícia Militar; Pós colonialismo; Performance.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, Louis. Aparelhos Ideológicos de Estado. Rio de janeiro: Graal, 1985.

ANDERSON, Benedict. Comunidades Imaginadas: Reflexões sobre a origem e a propagação do nacionalismo. Lisboa: Edições 70, 2005.

BHABHA,Homi K. O local da cultura. Trad. Myrian Ávila, Eliana Lourenço de Lima reis, Glaucia Renate Gonçalves. Belo Horizonte: UFMG, 1998.

BUTLER, Judith. Undoing gender. New York: Routledge, 2004.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1998.

GROTOWSKI, Jerzi. Em busca de um teatro pobre. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1987.

JAPIASSU, Ricardo. Metodologia Do Ensino De Teatro. Campinas: Papirus, 2007.

RAMSSAY, Burt. The male dancer. New York: Routledge, 1995.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio