A Performatividade da Luz em Otelo

Nadia Luciani, José Ronaldo Faleiro

Resumo


Este artigo pretende apresentar, a partir da compreensão do conceito de
performatividade da luz, um projeto em que a luz é performada de maneira a
refletir as intenções e significações da cena elaborada. Para isso são feitas
considerações a respeito da teatralidade e performatividade da luz, sua ação
perlocutória e a noção de recepção ativa do espectador. É analisado, então, o
processo de criação e concepção da montagem de Otelo por Silvia Monteiro,
para demonstrar como a teatralidade da luz, em conjunção com as outras
linguagens do espetáculo, se vale da experiência da recepção para alcançar
sua performatividade expressiva.

Palavras-chave


Iluminação; Recepção; Performatividade.

Texto completo:

PDF

Referências


LEHMAN, Hans-Thies. Teatro pós-dramático. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

FÉRAL, Josette. Performance e Performatividade: o que são os estudos

performáticos? in Sobre Performatividade. Florianópolis: Letras

Contemporâneas, 2009. p. 49.

MOSTAÇO, Edélcio. Fazendo cena: a performatividade. in Sobre

Performatividade. Florianópolis: Letras Contemporâneas, 2009. p. 15

TERRIN, Aldo Natale. Rito e teatro: a mediação da performance . in O Rito:

Antropologia e Fenomenologia da Ritualidade. São Paulo: Paulus, 2004. p. 315

PAREYSON, Luigi. Os Problemas da Estética. São Paulo: Martins Fontes,

ZUMTHOR, Paul. Performance, Recepção, Leitura. São Paulo: Cosac Naify,


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio