Uno, o corpo propositor e os processos investigativos

Rosemeri Rocha

Resumo


Esta pesquisa reflete sobre questões relacionadas ao corpo e a obra na dança
contemporânea, mais especificamente o conceito de corpo propositor e os modos de fazer nos processos investigativos no âmbito da produção artística, com enfoque na obra “UNO”, do Grupo de Dança da FAP, de Curitiba/PR. O estudo propõe essa discussão ao relacionar as propostas de dança do bailarino e coreógrafo norte americano Merce Cunningham e o conceito de performatividade proposto pela docente e pesquisadora Jussara Setenta. O objetivo da pesquisa é o de apresentar um mapa conceitual com abordagens sobre corpo, o entendimento de sujeito e proposição na perspectiva do campo de criação em dança, com o intuito de ampliar, reformular e nominar os conceitos de procedimentos em processos criativos do núcleo de pesquisa do GDFAP. O estudo propõe algumas pistas para falar de corpo propositor, no entanto, algumas maneiras diferenciadas de fazer dança já podem ser apontadas nas propostas artísticas do artista Merce Cunningham. Por exemplo, o processo criativo pessoal pelo uso intensivo da experimentação e improvisação, o uso do acaso, a separação da música, a criação de obras abertas que provocam inúmeras leituras e o interesse pelo jogo. O conceito de performatividade, trazido por Setenta (2008), refere-se ao corpo que dança, ao jeito de discutir e problematizar corpos que organizam pensamentos-falas na forma de dança. Refere-se ao jeito de estar no mundo, podendo ser aplicado às relações pessoais, sociais, políticas, culturais e artísticas. São fazeres específicos, que fazem repensar essas instâncias político-estéticas no próprio fazer, no presente fazer, a dança.

Texto completo:

PDF

Referências


COURTINE, J.J. et al. História do corpo - 3 as mutações do olhar: o século XX. Tradução e revisão de Ephrain Ferreira Alves. Petrópolis/RJ: Vozes, 2008.

GREINER, C. O corpo: pistas para estudos indisciplinares. São Paulo: Anablume, 2005.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. 10 ed. Tradução Tomaz Tadeu da Silva/ Guaracira Lopes Louro. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

JÜRGENS, Stephan. Expandir recursos coreográficos: técnicas generativas em performance contemporânea ao vivo e em artes de novos media. (p.155–175). In: TÉRCIO, D. TEDANCE.

Perspectivas sobre dança em expansão tecnológica. Lisboa: Ed. Faculdade de Motricidade Humana, 2008.

SETENTA, J. O fazer-dizer do corpo: dança e performatividade. Salvador: EDUFBA, 2008.

SILVA, E. Dança e pós- modernidade. Salvador: EDUFBA, 2005.

SILVA, T.T. (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio