O percurso metodológico como campo de criação para o artista-pesquisador

Lilian Vilela

Resumo


Este texto aborda um recorte de uma tese de doutorado realizada no
Laborarte/UNICAMP, com foco central na história de vida artística de Denise
Stutz, uma bailarina que encarna as transformações estéticas da dança
contemporânea brasileira, desde a década de 1970 até os dias atuais. O
recorte aqui tratado refere-se aos procedimentos metodológicos realizados na
pesquisa; um caminho criado com estratégias de análise independentes entre
si, aliadas e superpostas formando um só corpo de investigação. O percurso
metodológico foi desenvolvido durante o próprio pesquisar e abrangeu os
processos da transcriação das narrativas orais de Denise Stutz junto às
análises de movimento e às análises de espetáculo das narrativas cênicas de
suas obras de referência. Tratar a metodologia como criação e, portanto,
aberta e imprevisível, permitiu uma forma de pesquisar academicamente
levando em conta a natureza criadora do artista-pesquisador aproximando os
campos da arte e da investigação teórica acadêmica.

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, Marilia. O pesquisador e seu outro: Baktin nas ciências

humanas. São Paulo: Musa editora, 2004.

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: Ensaios sobre

literatura e história da cultura. 1a Ed. São Paulo: Editora Brasiliense, 1987. (Obras escolhidas, I).

DEMARTINI, Zeila de B. F. Das histórias de vida às histórias de formação. In: SOUZA, Elizeu e MIGNOT, Ana Chrystina V. (Orgs) Histórias de vida e formação de professores. Rio de Janeiro: Quartet: FAPERJ, 2008.

DUPUY, Dominique. La traversée en solitaire, apud ROUSIER, Claire (org.). La danse em solo: Une figure singulière de la modernité. Pantin: Centre National de la danse, 2002.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1996.

FREIRE, Paulo & HORTON, Myles. O caminho se faz caminhando:

Conversas sobre educação e mudança social. Petrópolis: Editora Vozes,

FREIRE, Paulo. Pedagogia dos sonhos possíveis. Ana Maria A. Freire

organizadora. São Paulo: Editora UNESP, 2001.

GALZERANI, Maria Carolina B. Percepções culturais do mundo da escola: em busca da rememoração. Campinas, Anais do III Encontro nacional de pesquisadores do ensino de história, 1999.

GERALDI, Sílvia. Raízes da teatralidade na dança cênica: Recortes de uma tendência paulistana. 2009. 289p. Tese (Doutorado em Artes). Instituto de Artes/ Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

GIL, José. O Espaço interior. Lisboa: Editorial Presença, 1993.

___________. Movimento Total. São Paulo: Iluminuras, 2004.

JOSSO, Marie-Christine. Experiências de vida e formação. São Paulo:

Cortez, 2004.

___________. (Prefaciadora) Os relatos de vida como desvelamento dos

desafios existenciais da formação e do conhecimento: destinos socioculturais e projetos de vida na invenção de si. In: SOUZA, Elizeu C.; ABRAHÃO, Maria Helena M. B. (Orgs.) Tempos, narrativas e ficções: a invenção de si. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006.

___________. As histórias como territórios simbólicos nos quais se exploram e se descobrem formas e sentidos múltiplos de uma existencialidade evolutiva singular-plural apud PASSEGI, Maria da Conceição (org.). Tendências da pesquisa (auto) biográfica. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2008.

LABAN, Rudolf. Domínio do movimento. São Paulo: Summus, 1978.

____________. Dança Educativa Moderna. Tradução de Maria da Conceição Parayba Campos. São Paulo: Ícone, 1990.

MEIHY, José Carlos S. B. Manual de História Oral. 5ª ed. São Paulo: Edições Loyola, 2005.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. São Paulo:

Martins Fontes, 1994.

PAIS, José M. Vida cotidiana: enigmas e revelações. São Paulo: Ed. Cortez, 2003.

PAVIS, Patrice. A análise dos espetáculos. São Paulo: Perspectiva, 2003.

PEREIRA, Roberto Os nomes próprios da dança brasileira, apud PEREIRA, R.;

MEYER, S. e NORA, S. (orgs.) Seminários de dança: Histórias em

movimento: biografias e registros em dança. Caxias do Sul, RS: Lorigraf,

________________. Ao lado da crítica: 10 anos de crítica de dança: 1999-

Rio de Janeiro: FUNARTE, 2009. (vol. I e volume 2)

ROPA, Eugenia. Le solo au XX siècle: Une proposition idélogique et une

stratégie de survie. apud. ROUSIER, Claire (org.). La danse em solo: Une

figure singulière de la modernité. Pantin: Centre National de la danse, 2002.

ROUSIER, Claire (org.). La danse em solo: Une figure singulière de la

modernité. Pantin: Centre National de la danse, 2002.

_________________. Être ensemble: Figures de la communauté em danse

depuis Le XX siècle. Pantin: Centre National de la danse, 2003.

SEGNINI, Lilian. Criação rima com precarização: Análise do mercado de

trabalho artístico no Brasil. Texto apresentado no XIII Congresso Brasileiro de Sociologia, mimeo, 2007.

SOARES, Carmem (org.) Corpo e história. 3ª ed. Campinas, SP: Autores

associados, 2006.

SOUZA, Elizeu et al. (orgs.) Pesquisa (auto) biográfica e práticas de

formação. Natal: EDUFRN; São Paulo: Paulus, 2008. (vol. 4).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio