Variedades teatrais no teatro de variedades

Lílian Rúbia da Costa Rocha

Resumo


O Teatro de Variedades santista recebeu diferentes grupos, companhias e artistas com repertórios diversificados que conviveram e construíram espetáculos com diversas expressões artísticas. O modelo de produção que este tipo de teatro utilizou foi fundamental para popularização e diversificação do teatro popular no país. Os espetáculos de teatro de variedades tiveram influências de gêneros e linguagens distintas; Entre elas: circo, teatro de revista, zarzuela, etc. Essa relação possibilitou um ambiente propício à interlocução e trocas artísticas, transformando-se em uma referência importante para a formação das cenas teatrais no Brasil. Reuni alguns aspectos deste teatro, no intuito de compreender os inúmeros elementos que compõem o gênero.

Palavras-chave


Diversões. Teatro brasileiro. Teatro de variedades.

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU. Martha. O império do divino: festas religiosas e cultura popular no Rio de Janeiro, 1830-1900. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

ANTUNES, Delson. Fora do sério - um panorama do teatro de revista no Brasil. Rio de Janeiro. Funarte. 2004.

ARAUJO, Vitor Gabriel de. Zarzuela: o teatro musical espanhol em São Paulo. Tese (Doutorado) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Assis, 2000.

ARAÚJO, Vicente de Paula. Salões, circos e cinemas de São Paulo. Editora Perspectiva, São Paulo, 1981.

AVANZI, Roger & TAMAOKI, Verônica. O Circo Nerino. São Paulo: Editora Pindorama Circus. 2014.

BOLOGNESI, Mario Fernando. Palhaços. São Paulo: Editora Unesp, 2003.

BORBA FILHO, Hermilo. Fisionomia e espírito do mamulengo: o teatro popular no Nordeste. São Paulo: Editora Nacional, 1966.

BOURCIER, Paul. História da dança no Ocidente. Tradução Marina Appenzeller. 2 ed. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2001.

DIAS, José da Silva. Teatros do Rio: do século XVIII ao século XIX. Rio De Janeiro: Funarte, 2012.

FONSECA, Denise Sella. Uma “Colcha de Retalhos” a música em cena em São Paulo entre o final do século XIX e início do XX. Dissertação (Mestrado) – 118 Programa de Pós-Graduação em História Social, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014.

FRANCO, Maria Isabel Silva. A redescoberta da festa - o teatro amador na cidade de São Paulo nas primeiras décadas do século XX. Dissertação (Mestrado) – Departamento de História, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1994.

FREIRE, Susanita. O fim de um símbolo: Theatro João Minhoca Companhia Authomatica. Rio de Janeiro: Achiamé, 2000.

GARCÍA, Manoel Gómez. Dicionário akal de teatro. Madrid: Ediciones Akal, 1997.

GUARDENTI, Renzo. Comedia dell’arte na França e teatro das feiras. Revista Repertório, Salvador, n 26, p.37-52, 2016.1.

GUIMARÃES, Carmelinda. Memória do teatro de Santos. Santos: Prefeitura de Santos, 1996.

LANNA, Ana Lúcia Duarte. Uma cidade na transição Santos: 1870-1913. São Paulo: Editora Hucitec, 1996.

LÁZARO, José. La España moderna. Madrid: Casa Editorial, 1915.

LIMA, Claudio Flores Serra. O teatro de variedades em J.-K. Huysmans: elementos da cenografia enunciativa. Dissertação de mestrado. Programa de 119. Pós-Graduação em Letras Neolatinas da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2010.

MARTINS, William de Souza Nunes. Paschoal Segreto: “Ministro das Diversões” do Rio de Janeiro (1883 – 1920). Dissertação (Mestrado) – Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.

MATOS, Maria Izilda Santos de. Santos: porto, deslocamentos e representações. Revista Porto, v. 1, n. 2, 2012, p. 93-115.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. Festa no pedaço: cultura popular e lazer na cidade. 3.ª ed. São Paulo: Editora Hucitec/Unesp, 1998.

MARZANO, Andrea. Cidade em cena: o ator Vasques, o teatro e o Rio de Janeiro (1839-1982). Rio de Janeiro: Folha Seca, 2008.

MENCARELLI, Fernando Antônio. Cena aberta: a absolvição de um bilontra e o teatro de revista do Arthur Azevedo. Campinas: Editora da Unicamp, 1999.

MENCARELLI, Fernando Antônio. A voz e a partitura: teatro musical, indústria e divertimento cultural no Rio de Janeiro (1868-1908). Tese (Doutorado) – Instituto Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2003.

OLIVEIRA, Vanessa Teixeira de. Eisentein ultrateatral: movimento expressivo e montagem de atrações na teoria do espetáculo de Serguei Eisentein. São Paulo: Editora Perspectiva, 2008.

PAIVA, Ricardo Martins de. A dramaturgia de Ariano Suassuna. Tese (Doutorado) – Departamento of Spanish an Portuguese, Indiana University, Bloomingtom, 1979.

PEIXOTO, Bianca. Imbricamento circo & dança – uma questão evolutiva. Artigo apresentado: VI Congresso de Pesquisa e Pós-graduação em Artes Cênicas, 2010.

PEREIRA, Matheus Serva. Uma viagem possível: da escravidão à cidadania. Quintino de Lacerda e as possibilidades de integração dos ex-escravos no Brasil. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em História, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2011, p. 236.

PIMENTA, Daniele. A dramaturgia circense: conformação, persistência e transformações. Tese (Doutorado em Artes). Unicamp, 2009.

PROPP, Vladímir. Comicidade e riso. Tradução de Aurora Fornoni Bernardini e Homero Freitas de Andrade. São Paulo: Editora Ática S.A, 1992.

RABETTI, Maria. Histórias de uma atuação do passado: a cena de baderna impressa nos jornais. Artigo apresentado: IV Congresso de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas, 2006.

RODRIGUES, Graziela Estela Fonseca. Bailarino-pesquisador-intérprete: processo de formação. Rio de Janeiro: Funarte, 2005, 2ª edição

ROSEMBERG, André. Uma cidade em crônica. In: Ordem e Burla: processos sociais, escravidão e justiça em Santos. São Paulo: Alameda, 2006.

ROUDINESCO, Elisabeth. A análise e o arquivo. Tradução de André Telles. Rio de Janeiro: Editora Jorge Zahar, 2006.

SÁNCHEZ, José. La escena moderna: manifiestos y textos sobre teatro de la época de vanguardias. Madrid: Ediciones Akal, 1999.

SANTOS, Francisco Martins dos. Histórias de Santos. Volume I, II e III. São Paulo: Empreza Graphica da Revista dos Tribunaes.LVA,

SILVA, Ermínia. Circo-teatro: Benjamim de Oliveira e a teatralidade circense no Brasil. São Paulo: Editora Altana, 2007.

SILVA, Ermínia. Respeitável Público... O circo em cena. Rio de Janeiro: Editora Funarte. 2009.

SILVA, Ermínia. Histórias do aqui e agora: cabaré e teatralidade circense. Artigo – VI Congresso de pesquisa e pós-graduação em Artes Cênicas, 2010.

SILVEIRA, Miroel. A contribuição italiana ao teatro brasileiro. São Paulo: Editora Edições Quiron, 1976.

SNYDER, Frederick Edwar. American vaudeville – Theatre in a package: the origins of mass entrertainment. Yale University, Ph.D., 1970. Seppech-Theater. A dissertation presentad to the Faculty of the graduate school of Yale university in candidacy for the degree of doctor of philosophy.

SOBRINHO, Costa e Silva. Santos noutros tempos. São Paulo: Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, 1953.

TORRES, Antônio (Ed.). O circo no Brasil. Rio de Janeiro: Funarte; São Paulo: Atração, 1998.

TRUSZ, Alice Dubina. Entre lanternas mágicas e cinematógrafos: as origens do espetáculo cinematográfico em Porto Alegre (1861 - 1908). Tese (Doutorado) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008. VENEZIANO, Neyde. De pernas pro ar: o Teatro de Revista em São Paulo. São Paulo. Ed. Imprensa Oficial. 2006.

VENEZIANO, Neyde. De pernas pro ar: o teatro de revista em São Paulo. São Paulo: Editora Imprensa Oficial, 2006.

VENEZIANO, Neyde. O teatro de revista no Brasil: convenções e dramaturgia. São Paulo: Editora SESI-SP, 2013.

VENEZIANO, Neyde. Não adianta chorar: o teatro de revista brasileiro...Oba!. Campinas: Editora da Unicamp, 1996.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio