Mergulho no mito, imagem e performance: um estado de transe nas artes na jornada mítica de elemento transitório

Bianca Costa Levy

Resumo


Este artigo apresenta o processo de experimentação mítica-artística da artista-pesquisadora, que tem como disparador a relação dela com a água, representada miticamente pela orixá iorubana Iemanjá. Assumindo a própria estrutura de narrativa mítica (cíclica, rumo ao auto conhecimento e ao retorno ao ponto de partida, modificado), esta poética mostra o reencontro da artista com Iemanjá e seu mito, narrando o processo criativo a partir das mudanças de estado físico da água, rumo ao caminho de volta para o mar, inspirado no arquétipo e qualidades de iemanjá para a produção de obras nas linguagens da performance orientada para fotografia e performance ritual coletiva. Além disso, a pesquisa reflete sobre e em que medida esta relação mágico-religiosa entre artista e divindade, que instaura o que a artista chama de um Estado de Transe nas Artes. 

Palavras-chave


Iemanjá. Mito. Imagem. Performance. Jornada do herói.

Texto completo:

PDF

Referências


AUGRAS. Monique. O Duplo e a Metamorfose. Rio de Janeiro, Editora Vozes, 1983, 295p.

BARCELLOS, Mario Cesar. Os orixás e a personalidade humana. Rio de Janeiro, Pallas, 2004. 119p.

CABRERA. Iemanjá e Oxum. São Paulo. Edusp, 2004, 368p.

CAMPBELL, Joseph. As Máscaras de Deus: Mitologia Criativa. Volume. Editora Palas Athena, 2008, 624p.

CAMPBELL, Joseph. A jornada do Herói. Agora Editora. Brasil. 2004. 288p.

CORREIA, Paulo Petronilio. Poder e transfiguração do imaginário no Candomblé. OPSIS, Catalão, v.11, n 2, p.15-34, jul-dez 2011.

DURAND, Gilbert. O imaginário: ensaio acerca das ciências e da filosofia da imagem. Rio de Janeiro, DIFEL, 2004.

DURAND, Gilbert. Mito, símbolo e mitodologia. Lisboa, Editorial Presença, 1990.

FERNANDES, Alexandre de Oliveira Fernandes; MOTA, Manoel Santos. Da apropriação e reiteração de discursos iorubas: uma leitura sígnica. Salvador: 1992. Disponível em: http://www.ciranda.net/spip/article1444.html. Acesso em: 18/07/2017.

FOUCAULT, Michel. A Utopia do Corpo. 1966. Ebook: https://colunastortas.com.br/utopia-do-corpo-michel-foucault/. Data de acesso: 01/11/2018.

FOUCAULT, Michel. A escrita de si. In: O que é um autor? Lisboa: Passagens. 1992.

MAGUIRE, Robert. Les Hors-Théâtre: Le problem du voyage d’Antonin Artaud en Irland. Tese de Doutoramento da Université, Paris,1960)

RANGEL, Sônia Lúcia. Perguntas-passaporte: mão dupla nas fronteiras da criação. Anais do V Congresso ABRACE- Associação Brasileira de pesquisa e pós graduação em artes cênicas. 28 a 31 de outubro, de 2008. UFMG- BH.

RANGEL, Sônia Lúcia. Olho desarmado: objeto poético e trajeto criativo. Salvador: Solisluna Design Editora, 2009.

RANGEL, Sônia Lúcia. Processo de criação: Atividade de fronteira. UFBA. TFC. Edição 1. Ano 3. 2006.

SALLES, Cecília de Almeida. O Gesto Inacabado; Processo de criação artística. São Paulo, FAPESP: Annablume, 1998, 168 p.

ZOURABICHVILI, François. Vocabulário de Deleuze. Disponível em: http://escolanomade.org/wp-content/downloads/deleuze-vocabulario-francois-zourabichvili.pdf. Acesso em: 23mar2017


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio