Abordagem somática e contato improvisação: procedimentos para um programa performativo

Fernanda Ströher Barbosa, Gisela Reis Biancalana, Marcella Nunes Rodrigues

Resumo


Dispositivos para criação de um corpo-sem-órgãos, capaz de adentrar o estado de presença na performance arte, são realizados e discutidos por diferentes disciplinas e metodologias. A pesquisa proposta tem como objetivo investigar como uma fusão entre o trabalho de Contato Improvisação e a Abordagem Somática poderia oferecer procedimentos para criação de um Programa Performativo. O intento emerge do questionamento sobre o estabelecimento de uma dramaturgia de ensaio como elemento discernível para experimentação e conhecimento de si e do(s) outro(s), bem como para a instauração de procedimentos criadores. As práticas ocorrem com um coletivo de dez pessoas do grupo de pesquisas Performances: arte e cultura, vinculado ao CNPQ. Metodologicamente, parte-se do trabalho prático desenvolvido semanalmente com artistas do grupo e, ainda, da elaboração de uma oficina batizada de Centelhas de Movimento que foi ministrada durante um evento no primeiro semestre de 2019. Os sistemas de conhecimento da arte pós-moderna sustentam um vasto debate quanto ao processo de invenção e sua relação com a obra final elencando condições de possibilidade, pertinência e a necessidade de tematizar um possível trabalho do-no-pelo corpo em estado de arte, ou seja, em performance. A experiência sensível dialoga com as reflexões teóricas de Deleuze, Fabião, Keogh e Ingold. Desse modo, o trabalho demonstra como a pesquisa em movimento elabora os germens de mundo pulsantes nos corpos-em-experiência.

Palavras-chave


Criação. Performance. Contato improvisação. Abordagens somáticas.

Texto completo:

PDF

Referências


BARDET, Marie. A Atenção através do Movimento: o método Feldenkrais como disparador de um pensamento sobre a atenção. Revista Brasileira de Estudos da Presença, Porto Alegre, v. 5, n. 1, p. 191 – 205, jan/abr. 2015 Disponível em: https://seer.ufrgs.br/presenca/article/view/51758. Acesso em: 04 out. 2015.

FABIÃO, Eleonora. Programa performativo: o corpo-em-experiência. ILINIX, Revista do Lume, v.1, n.4, dez. 2013. Disponível em: https://www.cocen.unicamp.br/revistadigital/index.php/lume/article/view/276. Acesso em: 04 out. 2015.

FELDENKRAIS, Moshe. Consciência pelo movimento. São Paulo: Summus, 1977.

INGOLD, Timothy. Da transmissão de representações à educação da atenção. Educação, Porto Alegre, v. 33, n. 1, p. 06-25, jan./abr. 2010. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/6777/4943. Acesso em: 04 out. 2015.

PORTER, Roy; VIGARELLO, Georges. Corpo, saúde e doenças. História do Corpo: Da Renascença às Luzes. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e política. São Paulo: Editora 34, 2009.

SCHMID, Jörg. Contato improvisação como uma arte de viver. Urdimento, v.1, n.28, p. 302-322, julho 2017. Disponível em: http://webcache.googleusercontent.com/search?q=cache:8dFDr13Vp8MJ:www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/download/9172/6939+&cd=1&hl=pt-BR&ct=clnk&gl=br. Acesso em: 04 out. 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Apoio