Pesquisando Nanã no terreiro de Mãe Mirian: as últimas vivências da bailarina-pesquisadora-intérprete no eixo co-habitar com a fonte nessa investigação

Paula Caruso Teixeira, Graziela Estela Fonseca Rodrigues

Resumo


Nesse artigo será realizada uma análise das últimas experiências de campo da bailarina-pesquisadora-intérprete, primeira autora deste texto, realizadas em setembro de 2018, no terreiro de Candomblé da Mãe- de- santo Mirian, em Maceió-AL. O texto abordará, em especial, a sua vivência singular de ministrar uma aula de Dança do Brasil, com a temática do Samba de Roda para as mães e filhas de santo investigadas no barracão desse terreiro e o que isso repercutiu nelas e na pesquisadora.

Palavras-chave


Bailarino-pesquisador-intérprete. Dança do Brasil. Co-habitar com a fonte.

Texto completo:

PDF

Referências


AMOROSO, Daniela M. Levanta mulher e corre a roda: dança, estética e diversidade no samba de roda de São Félix e Cachoeira. 2009. Tese (doutorado). Escola de Teatro, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA.

AUGRAS, Monique. O duplo e a metamorfose: a identidade mítica em comunidade nagô. Petrópolis: Vozes, 2008.

CABRERA, Lydia. Iemanjá e Oxum: iniciações, ialorixás e olorixás. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2004.

DIAS, P. A outra festa negra. In: JANCSÓ, I. & KANTOR, I. (Org.). Festa, cultura e sociabilidade na América Portuguesa. vol. II. São Paulo: Hucitec: Editora da Universidade de São Paulo: Fapesp: Imprensa Oficial, 2001.pp. 859-888.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de janeiro: Paz e Terra, 2015.

JORGE, M. D. Coraci Mirongá: processo e performance. In: RODRIGUES, G.E.F.; TURTELLI, L. S. & Andraus, M. B. M. (Org.). Dançar o nome: experiências no método bailarino-pesquisador-intérprete. Curitiba: Ed. Prismas, 2018. pp.240-283.

MARTINS, Suzana M. C. A dança de Yemanjá Ogunté sob a perspectiva estética do corpo. Salvador: EGBA, 2008.

MOURA, D. Porto de dentro num umbigo africano. In: Itaylê Ogun- Adenor Gondim-fotografias. São Paulo: Imprensa Pinacoteca, 2004. pp 11-24.

NASCIMENTO, A. Arte Afro-brasileira: um espírito libertador. In: PEDROSA, A.; CARNEIRO, A. & MESQUITA, A. (Org.). Histórias afro-atlânticas: vol. 2 antologia. São Paulo: MASP, 2018. pp.32-39.

PRANDI, Reginaldo. Mitologia dos orixás. São Paulo: Companhia das letras, 2001.

PRANDI, Reginaldo. Ifá, o Adivinho: história dos deuses africanos que vieram para o Brasil com os escravos. São Paulo: Companhia das letrinhas, 2002.

PRANDI, Reginaldo. Oxumarê, o arco-íris: mais história dos deuses africanos que vieram para o Brasil com os escravos. São Paulo: Companhia das letrinhas, 2004.

RODRIGUES, G. E. F. A dança. In: GOMEs, N. P. M. & PEREIRa, E. A. Negras raízes mineiras: os arturos. Juiz de Fora: Ed. UFJF, 1988. pp. 325-366.

RODRIGUES, G. E. F. O método BPI (bailarino-pesquisador-intéprete) e o desenvolvimento da imagem corporal: reflexões que consideram o discurso de bailarinas que vivenciaram um processo criativo baseado neste método. 2003. Tese (Doutorado). Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP.

RODRIGUES, G. E. F. Bailarino-pesquisador-intérprete (BPI) e a dança do Brasil. In: NAVAS, C.; ISAACSSON, M.& FERNANDES, S. (Org.). Ensaios em cena. Salvador: ABRACE, 2010.

RODRIGUES, G. E. F. Bailarino – pesquisador - intérprete: processo de formação. Lauro de Freitas-BA: Solisluna, 2018.

VERGER, P. Orixás: deuses orixás na África e no mundo. Salvador-BA: Fundação Pierre Verger, 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Apoio