A humanidade da caixa cênica italiana de acordo com o discurso do cenógrafo e professor Helio Eichbauer

Regilan Deusamar Barbosa Pereira

Resumo


Os dispositivos cenográficos articulados pela maquinaria da caixa cênica italiana demandam a atuação de um corpo de trabalhadores cujos conhecimentos técnicos aprimoram-se ao longo das realizações cênicas. Da carpintaria teatral à iluminação cênica um conjunto de saberes específicos se faz necessário. Tais saberes foram considerados pelo cenógrafo e professor Helio Eichbauer em seu livro Cartas de Marear. Impressões de viagem, caminhos de criação, publicado em 2013. As considerações tratam das habilidades técnicas e artesanais de homens e mulheres construtores sem as quais a realização cênica no interior deste edifício teatral de palco italiano fica inviabilizada. O edifício teatral, portanto, se constitui não somente como um lugar de realizações e memórias artísticas das cidades, mas também uma espécie de oficina do artífice, a qual nos oferece um amplo campo de análise relativa à produção de conhecimento a partir da realização técnica, na interface entre cenógrafos, iluminadores, figurinistas e os trabalhadores que constroem os projetos para a cena. O capítulo As estruturas do arranjo que consta no livro O sistema dos objetos de Jean Baudrillard confere o fundamento teórico para este estudo que compreende a caixa cênica italiana também como uma oficina do artífice, de acordo com o discurso do cenógrafo e professor Helio Eichbauer.


Palavras-chave


Helio Eichbauer. Pedagogia teatral. Caixa cênica italiana. Oficina do artífice.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor. Indústria cultural e sociedade. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

A TARDE. As marcas da passagem desta arquiteta e artista por Salvador. Lina Bo. Salvador: Revista semanal do grupo A tarde. Dezembro de 2009.

BARSACQ, André. L’experience de trois mises em scéne de plein air. In: Architecture et dramaturgie. Paris: Flammarion, 1950, p. 169-186.

BAUDRILLARD, Jean. O sistema dos objetos. Trad. Zulmira Ribeiro Tavares. 5ªed. São Paulo: Perspectiva, 2009.

BOAL, Augusto. A estética do oprimido. Rio de Janeiro: Garamond, 2009.

EICHBAUER, Helio. Cartas de marear: impressões de viagem, caminhos de criação. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2013.

FUNARTE. Oficina arquitetura cênica. Rio de Janeiro: Funarte, Centro Técnico de Artes Cênicas, 2003.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método I. Traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. Trad. Flávio Paulo Meurer. 15ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes. Bragança Paulista. Editora Universitária São Francisco, 2015.

LIMA, Evelyn F. W. Theatre Architecture from the renaissance to 21st Century: book of the exhibition = Arquitetura teatral do renascimento ao século XXI / Evelun furquim Werneck Lima, Niuxa Dias Drago, Francisco J. C. Leocádio. Rio de Janeiro: Unirio/PROExC, 2017.

LIMA, Evelyn F. W.; CARDOSO, Ricardo J. B. Arquitetura e teatro. O edifício teatral de Andrea Palladio a Christian de Portzamparc. Rio de Janeiro: Contra Capa/Faperj, 2010.

PEREIRA, Regilan Deusamar Barbosa Pereira. Helio Eichbauer e Lina Bo Bardi: artífices que constroem a arte e edificam a cidade. Tese. Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas – PPGAC. UNIRIO. Rio de Janeiro. 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Apoio