O fazer artístico engajado: dança, política, ativismo

Roberta Pedroni

Resumo


O presente artigo intenta refletir sobre o ativismo artístico na cena contemporânea, articulando, através de uma pesquisa bibliográfica, algumas noções e entendimentos teóricos sobre o tema e propondo um olhar sobre o potencial do corpo e da dança nesse universo da arte engajada. As discussões aqui expostas fazem parte de minha pesquisa em andamento no mestrado em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte. No texto, pondero sobre o caráter de urgência das ações artístico-ativistas como intervenções nos variados contextos sociopolíticos em que se inserem, a centralidade da ética como superação da dicotomia entre indivíduo e sociedade e a relação entre dança e política pelo viés do protagonismo do corpo enquanto processo dialético entre o ser e o estar no mundo. 


Palavras-chave


Ativismo artístico, Política, Corpo, Dança.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMAZÁN, Yayo Aznar; CLAVO, María Iñigo. Arte, política y activismo. Concinnitas, Rio de Janeiro, ano 8, v. 1, n. 10, p. 65-77, jul. 2007.

ADORNO, Theodor W. Commitment. In: BLOCH, Ernest. et al. Aesthetics and Politics. London: Verso, 2002.

CHAIA, Miguel. Artivismo – Política e Arte Hoje. Aurora, São Paulo, v. 1, p. 09-11, 2007.

FELSHIN, Nina. But it is Art? The spiriti of art as activism. Seattle: Bay Press. 2001.

FICHER, Stela. Por que fazemos performance e ativismo feminista? Arte da Cena, Goiânia, v. 3, n. 1, p. 08-20, jan./jun. 2017. Disponível em: . Acesso em: 08 ago. 2017.

GREINER, Christine. O corpo: pistas para estudos indisciplinares. São Paulo: Annablume, 2005.

GUZZO, Marina. S. L.; SPINK, Mary, J. P. Arte, dança e política(s). Psicologia & Sociedade, Porto Alegre, v. 1, n. 27, p. 3-12, 2015.

LEPECKI, André. Coreopolítica e Coreopolícia. Ilha, Florianópolis, v. 13, n. 1, p. 41-60, 2012.

LESSA, Sergio. Lukács: ética e política. Observações acerca dos fundamentos ontológicos da ética e da política. Maceió: Coletivo Veredas, 2016.

LIPPARD, Lucy R. Trojan Horses: Activist Art and Power. In: WALLIS, Brian (Ed.). Art after Modernism: rethinking representation. Boston: Godine, 1984. p. 341-358.

LONGONI, Ana. Arte y política. Políticas visuales del movimiento de derechos humanos desde la última dictadura: fotos, siluetas y escraches (Conferência). Aletheia, Buenos Aires, v. 1, n. 1, out. 2010. Disponível em: . Acesso em: 02 set. 2017.

LÖWY, Michel. Conservadorismo e extrema-direita na Europa e no Brasil. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 124, p. 652-664, out./dez. 2015. Disponível em: . Acesso em: 28 março 2017.

MARX, Karl. Contribuição à crítica da economia política. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da Percepção. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

MESQUITA, André. Insurgências poéticas: arte ativista e ação coletiva. São Paulo: Annablume, 2011.

MOURÃO, Rui. Performances artivistas: incorporação de uma estética de dissensão numa ética de resistência. Cadernos de Arte e Antropologia, v. 4, n. 2, p. 53-69, set. 2015.

RANCIÈRE, Jacques. Política da Arte (transcrição de palestra). In: São Paulo SA: práticas estéticas, sociais e políticas em debate – Situação #3 Estética e Política. São Paulo: abril 2005.

SETENTA, Jussara Sobreira. O fazer-dizer do corpo: dança e performatividade. Salvador: EDUFBA, 2008.

SETENTA, Jussara Sobreira; ROEL, Renata Santos. Experiência compositiva em dança: posicionamentos artístico-políticos num fazer aprender. In: ENCONTRO CIENTÍFICO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISADORES EM DANÇA, IV. Anais… Santa Maria: ANDA, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio