Corpo em trânsito entre a ação e a divindade: Polirritmia- Policentrismo-Sentido Holístico

Suzana Martins

Resumo


Trata-se de um artigo sobre a “unidade dinâmica” de dança emúsica de herança negro-africana, na qual o corpo transita entrea ação física e a divindade. Nesse trajeto há elementos interculturais,envolvendo três pilares fundamentais – a Polirritmia,o Policentrismo e o Sentido Holístico que, juntos, são marcas emblemáticas da dança e da música do Candomblé da Bahia.

Palavras-chave


Corpo. Dança/música. Divindade.

Texto completo:

PDF

Referências


BIÃO, Armindo Jorge de Carvalho. Matrizes Estéticas: O Espetáculo da Baianidade. In: Temas em Contemporaneidade, Imaginário e Teatralidade. São Paulo: Annablume, 2000.

GUERREIRO, Goli. A Trama dos Tambores: A Música Afro-Pop de Salvador. São Paulo: Editora 34, 2000.

MARTINS, Suzana. A Dança de Yemanjá Ogunté sob a Perspectiva Estética do Corpo. Salvador: EGBA, 2008.

THOMPSON, Robert Farris. African Art and Motion: Icon and Act. Los Angeles: University of California, 1974.

WELSH, Kariamu. Commonalities in African Dance: An Aesthetic Foundation. IN: African Cultures: Rhythms of Unity. New Haven, CT, Greenwood, 1985.

PEIXOTO, Janail. Entrevista realizada no terreiro Ilê Axé Jagun, localizado no bairro de Alto de Coutos, Salvador, Bahia, 1992.

POVOAS, Ruy do Carmo. Quarto de consulta: um espaço para a terapia africana Kàwé. Cadernos do Núcleo de Estudos AfroBaianos Regionais. Ilhéus: EDITUS (editora da UESC), 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


(c) Conceição | Concept., Campinas (SP) - ISSN 2317-5737.