Artaud, sonho: f(r)icção

Anderson Arêas

Resumo


Este artigo ensaia novas perspectivas sobre a poética de Antonin Artaud, investigando como os seus escritos sobre teatro se apropriam, em diversos momentos, da linguagem dos sonhos e como isso pode se articular e se friccionar com o seu conceito de crueldade.


Palavras-chave


Artaud. Sonho. F(r)icção.

Texto completo:

PDF

Referências


ARTAUD, Antonin. O teatro e seu duplo. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

ARTAUD, Antonin. Antonin Artaud: Linguagem e vida. São Paulo: Perspectiva, 1995.

ARTAUD, Antonin. Pour en finir avec le jugement de Dieu. In: Oeuvres Completes, tomo XIII. Paris: Éditions Galimard, 1974.

DERRIDA, Jacques. O teatro da crueldade e o fechamento da representação. In: A escritura e a diferença. São Paulo: Perspectiva, 1995.

FREUD, Sigmund. A interpretação dos sonhos. Porto Alegre: L&PM, 2012.

RIVERA, Tania. O Avesso do Imaginário. Arte Contemporânea e Psicanálise. São Paulo: Cosac Naify, 2013a.

RIVERA, Tania. De Volta ao Sonho: ensaio sobre o Real e a Cena. In: LO BIANCO, Anna Carolina (Org.). Psicanálise: Política e Cultura. Campinas: Mercado de Letras, 2013b, v. 1, p. 15-22.

RIVERA, Tania. Cinema, imagem e psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

UNO, Kuniichi. A gênese de um corpo desconhecido. São Paulo: N-1 edições, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


(c) Conceição | Concept., Campinas (SP) - ISSN 2317-5737.