A superação dos binarismos de sexo e gênero no filme O Beijo da Mulher Aranha

Carlos Frederico Bustamante Pontes

Resumo


O trabalho pretende delinear, a partir do filme O Beijo da Mulher Aranha (1985), as características constitutivas das identidades de sexo e gênero dos dois personagens centrais observadas através de seus discursos e comportamentos. Em um microcosmo ficcional visto enquanto metáfora do macrocosmo social no qual os binarismos de sexo e gênero se apresentam naturalizados, a análise da obra nos permite observar como a rigidez estanque de tais construções identitárias pode ser superada, possibilitando, assim, o fecundo intercâmbio de ideias e afetos.

Palavras-chave


Sexo. Gênero. Cinema. Binarismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAUJO, Inácio. Cinema – O mundo em movimento. São Paulo: Scipione, 1995.

CORNEJO, Giancarlo. A guerra declarada contra o menino afeminado. Anexo. In:

MISKOLCI, Richard. Teoria queer: um aprendizado pelas diferenças. Belo

Horizonte: Autêntica, 2015.

BERMÚDEZ, Mónica De M. Connel y el concepto de masculinidades hegenónicas: notas

críticas desde la obra de Pierre Bourdieu. In: Estudos Feministas. Florianópolis:

UFSC, 1999. pp. 283-300.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero. Feminismo e subversão da identidade.

Rio de Janeiro, Civilização Brasileira: 2016.

BRETON, David Le. Corpo, Gênero, Identidade. In: FERRARI, Anderson; RIBEIRO, Cláudia

M.; de CASTRO, Roney P.; BARBOSA, Vanderlei (orgs.).

- 4231 -

Corpo, Gênero e Sexualidades. Lavras: UFLA, 2014. Pp. 19-34.

ECHAVARREN, Roberto. El Beso de la Mujer Araña y las metáforas del sujeto.

Revista IberoAmericana, Vol. XLIV, Núm. 102-103, Enero-Junio 1978. pp. 6575.

Disponível em:

http://revistaiberoamericana.pitt.edu/ojs/index.php/Iberoamericana/article/vi

ew/3231/3413>. Acesso em: 01 de ago. de 2016.

HARDING, Sandra. Existe un método feminista?. In: BARTRA, Eli (Orgª).

Debates em torno a uma metodología feminista. Ciudad de México: PUEG, 2002.

pp. 9-34.

LAQUEUR, Thomas. Inventando o sexo – Corpo e gênero dos gregos a Freud.

Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

LEKITSCH, Stevan. Cine Arco-Íris, 100 anos de cinema LGBT nas telas

brasileiras. São Paulo: GLS, 2011.

MASSARO, Geraldo. E se o psicodrama tivesse nascido no cinema?. São Paulo:

Ágora, 2014.

MORENO, Antônio. A personagem homossexual no cinema brasileiro. Rio de

Janeiro: EdUFF. 2002.

MORIN, Edgar. O cinema ou o homem imaginário. Ensaio de Antropologia

Sociológica. São Paulo: É Realizações Editora, 2014.

PIZARRO, Marcio. A masculinidade em cena ou encena?. In: Vários autores.

Masculinidade em crise. Porto Alegre: APPOA, 2005. Pp. 226-240.

PRECIADO, Beatriz. Manifesto contrassexual. Práticas subversivas de

identidade sexual. São Paulo: n-1 edições, 2014.

SARA, Salih. Judith Butler e a teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

- 4232 -

SENA, Tito; LAGO, Mara C. S.; GROSSI, Miriam P. Os relatórios Kinsey, Masters & Johnson,

Hite: sexualidades, estatísticas e normalidades – configurando a persona numerabilis.

In: GROSSI, Miriam P.; LAGO, Mara C. de S.; NUERNBERG, Adriano, H. Estudos

in(ter)disciplinados. Gênero, Feminisno, Sexualidade. Florianópolis: Ed. Das

Mulheres, 2010. pp. 235-256.

TREVISAN, João S. Seis balas num buraco só – A crise do masculino. Rio de

Janeiro: Record, 1998.

Referência filmográfica

BABENCO, Hector. O Beijo da Mulher Aranha. [Filme – DVD]. RAMALHO Jr. F. EUABRA, 1985, 120min., color. son.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2176-9516

Fomento à pesquisa e apoio